Justiça PJ faz buscas a escritório de Álvaro Sobrinho

PJ faz buscas a escritório de Álvaro Sobrinho

Segundo o Correio da Manhã, o luso-angolano Álvaro Sobrinho vai ser constituído arguido por suspeitas de corrupção ao juiz Rui Rangel.
PJ faz buscas a escritório de Álvaro Sobrinho
Bruno Simão/Negócios
Negócios 23 de fevereiro de 2018 às 10:12

Álvaro Sobrinho, antigo presidente do BES Angola e hoje em dia principal accionista da SAD do Sporting, foi alvo de buscas pela Polícia Judiciária no passado dia 15 de Fevereiro. A informação é avançada pelo Correio da Manhã, que adianta que as buscas estão relacionadas com suspeitas de corrupção ao juiz Rui Rangel.

As buscas ocorreram no escritório da Holdimo, nas Amoreiras, e surgem numa altura em que o Ministério Público se prepara para constituir Álvaro Sobrinho como arguido na operação Lex, diz o jornal diário.

Em 2015 Rui Rangel, à data juiz do Tribunal da Relação de Lisboa, proferiu um acórdão polémico onde levantou o arresto sobre 30 imóveis de Álvaro Sobrinho, no valor de 80 milhões de euros. O arresto tinha sido decretado pelo juiz Carlos Alexandre, invocando suspeitas de branqueamento de capitais, e as autoridades acreditarão agora que o juiz Rui Rangel foi pago para tomar a decisão.

 

Desencadeada a 30 de Janeiro, a Operação Lex conta com 13 arguidos, incluindo o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira. Os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante foram suspensos de funções mas aguardarão julgamento em liberdade.

Rui Rangel escolheu João Nabais para seu advogado, Fátima Galante é representada por Paulo Sá e Cunha.




pub