Política Portugal disponível para receber oito refugiados do Ocean Viking

Portugal disponível para receber oito refugiados do Ocean Viking

Grupo de 82 migrantes foi autorizado este sábado na ilha italiana de Lampedusa. Além de Portugal, também a Alemanha, França, Itália e Luxemburgo manifestaram-se disponíveis a receber refugiados.
Portugal disponível para receber oito refugiados do Ocean Viking
EPA
Lusa 14 de setembro de 2019 às 21:56

Portugal está disponível para acolher oito pessoas do grupo de 82 migrantes que estavam a bordo do navio humanitário ‘Ocean Viking’, autorizado a atracar em Lampedusa, anunciou hoje o Governo português.

 

Através de um comunicado conjunto do Ministério da Administração Interna e do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Governo revela que já manifestou essa disponibilidade junto da Comissão Europeia.

 

Além de Portugal, também a Alemanha, França, Itália e Luxemburgo manifestaram essa disponibilidade, "num gesto de solidariedade humanitária e de desejo comum de fornecer soluções europeias para a questão da migração e das tragédias humanas que se verificam no Mediterrâneo".

 

"Não obstante esta disponibilidade solidária sempre manifestada, o Governo português continua a defender uma solução europeia integrada, estável e permanente para responder ao desafio migratório", lê-se no comunicado.

 

Os dois ministérios aproveitam para lembrar que Portugal "tem participado ativamente em todos os processos de acolhimento", tendo o país já acolhido 139 pessoas desde 2018.

 

Os 82 migrantes a bordo do barco humanitário ‘Ocean Viking’, das organizações não-governamentais (ONG) SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras (MSF) foram hoje autorizados a desembarcar num porto da ilha italiana de Lampedusa, seis dias depois do primeiro resgate.

 

Em Itália ainda está em vigor o decreto de proibição de entrar em águas territoriais para barcos com migrantes, que foi aprovado pelo anterior Executivo, da Liga e do Movimento 5 Estrelas.

 

O anúncio de um porto para o navio ocorre depois de, em 12 de setembro, o Governo italiano ter informado que vários países europeus, sem especificar quais, concordaram no realojamento dos migrantes salvos a bordo.

 

O barco da SOS Méditerranée e da MSF socorreu em 8 de setembro 50 pessoas no Mediterrâneo e em 10 de setembro acolheu outras 34, que tinham sido assistidas no mar por um veleiro que não tinha condições para as manter a bordo.

 

Nos últimos dias, uma mulher grávida de nove meses e o marido tiveram de ser retirados para Malta.

 

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, pediu em Bruxelas para que os países europeus promovam um mecanismo automático de redistribuição dos migrantes que navegam pelo Mediterrâneo com destino à Europa.

 

O ‘Ocean Viking’ já esteve duas semanas no Mediterrâneo com 356 migrantes a bordo em agosto passado, até seis países europeus concordarem no realojamento dos resgatados, uma situação extrema criticada pela MSF, que pediu à UE um sistema permanente em vez de pactos pontuais para cada situação.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI