Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal, Espanha e França agendam cimeira sobre ligações energéticas

A cimeira tripartida foi sugerida por Passos Coelho, que escreveu aos líderes espanhol e francês na sequência do acordo europeu sobre energia e clima.

Paulo Duarte/Negócios
Lusa 18 de Dezembro de 2014 às 18:47
  • Partilhar artigo
  • ...

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, o chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, e o presidente francês, François Hollande, acordaram nesta quinta-feira, em Bruxelas, celebrar uma cimeira no início de Fevereiro, em Madrid, dedicada aos projectos de interligações energéticas.

 

Fontes diplomáticas indicaram que a cimeira foi acordada num encontro mantido hoje entre Passos Coelho, Rajoy e Hollande numa curta reunião realizada antes do início do Conselho Europeu, e na qual participou também o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

 

A cimeira tripartida, indicou fonte diplomática, foi sugerida por Passos Coelho, que escreveu aos líderes espanhol e francês na sequência do Conselho Europeu de Outubro passado, no qual os chefes de Estado e da UE alcançaram um acordo sobre o pacote energia e clima, que prevê uma meta para as interconexões (de 10% até 2020 e de 15% até 2030, tal como defendia Portugal), embora as mesmas não sejam vinculativas.

 

Na ocasião, o primeiro-ministro português considerou "crucial" para Portugal o acordo conseguido na cimeira quanto às metas nas interligações de electricidade e gás e disse que deverá sair financiamento para essas infra-estruturas do pacote de investimentos entretanto apresentado por Juncker.

 

Um dos objectivos da cimeira de Madrid será então Portugal, Espanha e França acertarem entre si uma estratégia em torno de projectos de interconexões que possam beneficiar do "plano Juncker", com vista ao próximo Conselho Europeu, de Março, que dará seguimento à cimeira de Novembro.

 

A interconexão das redes permite o transporte de electricidade e de gás sendo que actualmente a Península Ibérica é considerada uma 'ilha energética' devido às baixas interconexões existentes (apenas 1,5% da capacidade instalada).

 

Ver comentários
Saber mais Pedro Passos Coelho Mariano Rajoy François Hollande Conselho Europeu economia negócios e finanças energia electricidade redes União Europeia
Outras Notícias