União Europeia Portugal foi o país onde a diferença salarial entre homens e mulheres mais aumentou na UE

Portugal foi o país onde a diferença salarial entre homens e mulheres mais aumentou na UE

Os dados do Eurostat referem-se a 2016 e mostram que nos últimos cinco anos Portugal foi dos poucos países que registou um aumento na disparidade salarial na União Europeia. Os homens em Portugal ganham mais 17,5% do que as mulheres, uma das diferenças mais acentuadas entre os estados-membro.
Portugal foi o país onde a diferença salarial entre homens e mulheres mais aumentou na UE
Jose Manuel Ribeiro/Reuters
Sara Antunes 07 de março de 2018 às 10:58
No âmbito do Dia Internacional da Mulher, o Eurostat publicou um relatório sobre diferenças salariais. E Portugal não fica bem na fotografia. Em média, na União Europeia a diferença salarial entre homens e mulheres é de 16,2%, com ganhos para os homens, o que é o mesmo que dizer que por cada euro ganho por um homem a mulher ganha 84 cêntimos. 

Em Portugal a diferença ascende a 17,5%, numa lista encabeçada pela Estónia, onde a diferença é de 25,3%, seguida da República Checa, com uma diferença de 21,8%, e da Alemanha, com 21,5%. Os países onde a diferença é menor são a Roménia, com uma diferença de 5,2%, e Itália (5,3%).

O Eurostat avaliou ainda a evolução recente, analisando o período entre 2011 e 2016. E, na maioria dos casos (18 em 28) a diferença salarial diminuiu. A média da UE desceu 0,6%, com a maior descida a ser registada na Roménia (-4,4 pontos percentuais), na Hungria (-4 pontos) e em Espanha e Áustria (ambos com reduções de 3,4 pontos.

Do lado oposto está Portugal, onde a disparidade de rendimentos entre os dois géneros aumentou em 4,6 pontos no espaço de cinco anos. Nenhum outro país supera este aumento. O mais próximo foi a Eslovénia, onde a diferença aumentou 4,5 pontos. 

Apesar do aumento deste período, verifica-se que em Portugal, entre 2015 e 2016, houve uma descida, passando de 17,8%, em 2015, para os 17,5%.




Saber mais e Alertas
pub