Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal cresce ao mesmo ritmo da Zona Euro em 2008 e acima em 2009

A Comissão Europeia reviu hoje em baixa as previsões de crescimento para a economia portuguesa em 2008, antecipando uma expansão do PIB em 1,7%, igual à nova previsão para a Zona Euro. A economia portuguesa deverá voltar a abrandar em 2009, mas já deverá

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 28 de Abril de 2008 às 11:07
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Comissão Europeia reviu hoje em baixa as previsões de crescimento para a economia portuguesa em 2008, antecipando uma expansão do PIB em 1,7%, igual à nova previsão para a Zona Euro. A economia portuguesa deverá voltar a abrandar em 2009, mas já deverá crescer acima da Zona Euro.

A Comissão Europeia reviu hoje em baixa as previsões de crescimento para a economia portuguesa. O PIB deverá crescer 1,7%, abaixo dos 2% previstos anteriormente.

Bruxelas reviu também em baixo as previsões para a economia da Zona Euro, antecipando um crescimento de 1,7%, igual ao estimado para Portugal.

Ainda assim, apesar do crescimento ser idêntico, apenas três países da Zona Euro vão crescer este ano abaixo de Portugal: França (1,6%), Itália (0,5%) e Dinamarca (1,3%).

A confirmarem-se estas previsões, a economia portuguesa, em 2008, vai crescer ao mesmo ritmo da Zona Euro e vai abrandar face ao crescimento de 1,9% verificado em 2007.

Para 2009 Bruxelas antecipa novo abrandamento da economia portuguesa, com o PIB a crescer 1,6%. Contudo, as previsões apontam para um crescimento superior à da Zona Euro (1,5%). Apesar de apenas cinco irem crescer menos que Portugal nesse ano.

As previsões de Bruxelas são mais pessimistas que as do Governo português, que prevê um crescimento da economia portuguesa de 2,2% este ano, mas bem mais optimistas que as do FMI apresentadas recentemente.

O FMI antecipa um crescimento de 1,3% para a economia portuguesa em 2008.

As previsões para a economia portuguesa "são afectadas pelos desenvolvimentos externos adversos, em conjunto com fragilidades estruturais persistentes e fraco crescimento potencial do PIB", refere o relatório de Bruxelas sobre a economia portuguesa.

A Comissão adianta que a economia portuguesa vai ser afectada pelo "abrandamento económico nos principais parceiros, turbulência no mercado de crédito e subida dos preços da energia e da alimentação".

Ainda assim Bruxelas acredita que o rendimento disponível das famílias vai beneficiar em 2009 com a normalização dos mercados financeiros, devido ao aliviar do custo com o pagamento das dívidas.

Previsões de Bruxelas para Portugal

2007 2008 2009
PIB 1,90% 1,70% 1,60%
Consumo Privado 1,50% 1,20% 1,40%
Consumo Público 0,30% 0,30% 0,50%
Investimento (FBCF) 3,20% 2,90% 1,40%
Exportações 7,10% 4,60% 4,20%
Importações 5,40% 3,30% 2,80%
Emprego 0,20% 0,70% 0,50%
Taxa Desemprego 8% 7,90% 7,90%
Inflação 2,40% 2,80% 2,30%
Défice conta corrente 9,80% 10,10% 9,40%
Défice orçamental* 2,60% 2,20% 2,60%
Dívida Pública* 63,60% 64,10% 64,30%
* em percentagem do PIB

Outras Notícias