Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal paga indemnizações por despedimento acima da média europeia

O valor mínimo de indemnizações por despedimento em países da União Europeia é cinco vezes maior que em outros, de acordo com um estudo da Mercer. Portugal encontra-se entre os países mais generosos, ao pagar 18.752 euros, acima da média.

Ricardo Domingos rdomingos1@gmail.com 20 de Agosto de 2003 às 16:24
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O valor mínimo de indemnizações por despedimento em países da União Europeia é cinco vezes maior que em outros, de acordo com um estudo da Mercer Human Resource Consulting. Portugal encontra-se entre os países mais generosos, ao pagar 18.752 euros, acima da média.

A França, a Holanda e o Reino Unido possuem os níveis mais baixos, enquanto os níveis mais generosos são dados em Espanha, Itália, Bélgica, Áustria, Luxemburgo e Portugal, revela a mesma fonte.

As comparações são, na maioria, baseadas nos valores mínimos estabelecidos por lei para um funcionário com 40 anos de idade, uma antiguidade de 10 anos e um salário anual de 30 mil euros.

«Com base neste exemplo, as indemnizações serão apenas de 7.500 euros em França e na Holanda e 7.692 euros no Reino Unido. No outro extremo, os valores em Espanha, Itália, Bélgica, Áustria, Luxemburgo e Portugal serão 38.196 euros; 27.414 euros; 22.500 euros, 22.500 euros, 20.000 euros e 18.752 euros, respectivamente», segundo o estudo.

A média do valor de indemnizações por toda a União Europeia após 10 anos de serviço será de 16.745 euros.

«As indemnizações muitas vezes reflectem a cultura do mercado de trabalho do país», afirmou David Formosa, da Mercer. «A legislação é branda em alguns Estados membros, para permitir um mercado de trabalho mais competitivo e flexível. Em outros países, o Governo tem um papel mais activo para proteger os trabalhadores».

David Formosa acrescenta ainda ser pouco «provável que os níveis de indemnizações sejam harmonizados no futuro próximo. De facto, muitos países, como por exemplo a Alemanha, estão actualmente mais preocupados em encontrar uma forma de introduzir uma maior flexibilidade».

As organizações nos Estados Unidos não estão legalmente obrigadas a fornecer indemnizações por despedimento, apesar de algumas empresas pagarem ao pessoal duas semanas, o equivalente a 1.235 euros, com base no exemplo acima descrito.

As indemnizações são, igualmente, baixas no Japão, onde um trabalhador com um salário equivalente a 30.000 euros receberia apenas 2.308 euros após 10 anos de serviço.

«A entidade patronal geralmente eleva a indemnização em países onde os direitos legais são reduzidos», afirmou David Formosa. «Os Estados Unidos são uma excepção dado que, tradicionalmente, poucas ou nenhumas indemnizações são dadas».

Outras Notícias