Saúde Portugueses faltam a consultas por não terem dinheiro para transporte e taxas moderadoras

Portugueses faltam a consultas por não terem dinheiro para transporte e taxas moderadoras

A conclusão é do estudo Índice de Saúde sustentável, que aponta os custos com transportes como principal problema. Já o Serviço Nacional de Saúde está mais sustentável e, dizem os investigadores, conseguiu recuperar para a economia o equivalente a metade do seu orçamento.
Portugueses faltam a consultas por não terem dinheiro para transporte e taxas moderadoras
Sara Matos
Negócios 06 de março de 2018 às 09:13

A falta de dinheiro leva os portugueses a faltar a consultas previamente marcadas em hospitais e centros de saúde públicos. Em 2017, ficaram por realizar cerca de dois milhões de atendimentos porque as pessoas não tinham meios para pagar os custos com transportes. Já os preços das taxas moderadoras motivaram pelo menos faltas a 254 mil consultas.

A conclusão é do estudo Índice de Saúde Sustentável, realizado pela Nova IMS - Universidade Nova de Lisboa e divulgado esta terça-feira, 6 de Março, pelo Diário de Notícias. Segundo o mesmo estudo, o maior impacto para estas faltas é sentido nas consultas externas dos hospitais públicos. Olhando em concreto para o peso das taxas moderadoras no número de faltas a consultas, este regista-se ao nível das idas às urgências.

O estudo avaliou o número de consultas e serviços em geral prestados pelo Serviço Nacional de Saúde e conclui que, contas feitas, em 2017 este gerou cerca de cinco milhões de euros para a economia, o equivalente a quase metade do seu orçamento.

Isso aconteceu não só com os valores cobrados no atendimento, mas também, e sobretudo, com faltas ao trabalho evitadas e aumentos de produtividade. Segundo os investigadores, sem os serviços prestados pelo SNS o absentismo no ano passado teria sido em média de 7,8 dias por trabalhador quando, na verdade, ficou abaixo dos seis dias.




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
General Ciresp 06.03.2018

Estamos recordados:nos incendios de Pedrogao o selfie tripa foi dos primeiros aparecer no local,ainda pos a policia em apuros por nao respeitar a lei,culpou as faisca como causadoras dos incendios,desastre em toda a linha.Hoje vivemos caso semelhante na saude,alguem o ve por perto?Aqui se ve a pesso

pertinaz 06.03.2018

ESTAMOS Á MERCÊ DO DESGOVERNO XUXALISTA...

AFINAL A ESCUMALHA DE ESQUERDA NÃO DEFENDE O POVO...!!!

pertinaz 06.03.2018

A CONCLUSÃO É QUE ESTAMOS A SER DESGOVERNADOS POR FASCISTAS...

ahah 06.03.2018

O pagamento de taxas moderadoras (4 ou 5 eur) para quem tem rendimentos bem acima do sal. mínimo, é uma justificação absurda, provavelmente a doença é de falta de ocupação.. e té a de custo do transporte é pouco credível.

ver mais comentários
pub