Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Preços das casas desaceleram pelo segundo trimestre. Vendas mantêm subida

Os preços das casas aumentaram novamente no terceiro trimestre do ano, embora o crescimento seja inferior ao trimestre anterior, pela segunda vez consecutiva. Já as vendas aceleraram.

Ana Batalha Oliveira anabatalha@negocios.pt 21 de Dezembro de 2018 às 11:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
Os preços das casas continuaram a subir no terceiro trimestre, embora a um ritmo menos acelerado do que no trimestre anterior: cresceram 8,5% em termos homólogos, 2,7 pontos percentuais (p.p.) abaixo do observado no trimestre anterior.

"Este foi o segundo trimestre consecutivo em que se registou uma desaceleração dos preços das habitações transaccionadas", escreve o gabinete nacional de estatística. Para além disto, os dados mostram que os preços não registavam um aumento homólogo tão reduzido desde o segundo trimestre de 2017. Já em cadeia, esta é a aceleração mais fraca em três anos.

Os preços sobem sobretudo nas habitações existentes, com um aumento de 9,2%, que compara aos 5,7% relativos aos preços das habitações novas.

Esta evolução acontece numa altura em que a subida constante dos preços tem alimentado receios quanto a uma eventual bolha no mercado imobiliário português. Contudo, várias entidades, desde a OCDE à agência financeira Moody's, têm contrariado esta tese.

Vendas mantêm escalada. Lisboa concentra mais de metade do valor

Já as vendas ascenderam às 45.935 habitações, um salto de 18,4% relativamente ao mesmo período do ano anterior, um acréscimo de 0,7% em comparação com o trimestre precedente. Estas transacções totalizaram 6,3 mil milhões de euros, mais 29,1% do que no terceiro trimestre de 2017 e 1,4% acima do segundo trimestre deste ano.

Também no que toca às vendas, o parque habitacional existente leva um avanço: colheu 5,1 mil milhões de euros, enquanto as casas novas registaram transacções num volume de 1,2 mil milhões de euros. 

Dos proveitos com a venda de casas, Lisboa arrecadou 49,6% do valor total, atingindo um novo máximo.  A capital e o Alentejo são as únicas regiões nas quais se verifica um aumento tanto dos valores transacionados como do número de vendas - no resto do país, vê-se uma desaceleração.

(Notícia actualizada pela última vez às 11:39)
Ver comentários
Saber mais preços das casas imobiliário
Outras Notícias