Cultura Prémio Nobel da Literatura atribuído à canadiana Alice Munro (act.)

Prémio Nobel da Literatura atribuído à canadiana Alice Munro (act.)

O prémio Nobel da Literatura 2013 foi atribuído, esta quinta-feira, à escritora canadiana Alice Munro.
Prémio Nobel da Literatura atribuído à canadiana Alice Munro (act.)
Negócios com Lusa 10 de outubro de 2013 às 12:22

A Academia Sueca atribuiu o Prémio Nobel da Literatura de 2013 a Alice Munro. A escritora canadiana de 82 anos, tem mais de 15 obras publicadas em várias línguas.

 

A Academia atribuiu o galardão a Munro por considerar a escritora "mestre do conto contemporâneo", um género literário raramente distinguido pela Academia das Ciências Sueca. Esta é a primeira vez que um escritor canadiano é laureado como este prémio. Alice Munro é a 13.ª mulher a ganhar o Nobel da Literatura desde que o prémio foi instituído, em 1901.

 

Na biografia que foi divulga da escritora, a Academia Sueca aplaude os contos de Munro, que focam "a fragilidade da condição humana", e elogiam a "narrativa afinada" da escritora, "que se caracteriza pela clareza e pelo realismo psicológico".

 

"Alguns críticos consideram-na um Tchekhov canadiano", acrescenta a Academia.

 

"As suas histórias passam-se frequentemente em pequenas localidades, onde a luta por uma existência socialmente aceitável muitas vezes resulta em relações tensas e conflitos morais. Problemas que resultam de diferenças geracionais e ambições de vida que colidem", escreve ainda.

 

Os seus textos descrevem frequentemente "eventos do dia-a-dia, mas decisivos; verdadeiras epifanias que iluminam a história e deixam questões existenciais aparecer num relâmpago", pode ler-se no texto da academia.

 

Nos últimos dias o nome de Alice Munro surgira como favorito, embora a escritora não surgisse nos primeiros lugares da lista de apostas.

 

Alice Munro é sobretudo conhecida pelos seus contos e publicou muitas coleções ao longo dos anos, nomeadamente "Amada Vida", "Fugas" e "O Amor de Uma Boa Mulher", publicadas em Portugal pela editora Relógio d'Água.

 

O galardão, no valor de oito milhões de coroas suecas (925 mil euros) foi anunciado pelo secretário da Academia de Ciências Sueca no histórico edifício da Bolsa, na baixa de Estocolmo.

 

Nos últimos 10 anos, o Nobel da Literatura distinguiu nomes como o chinês Mo Yan (2012), o sueco Tomas Tranströmer (2011), o peruano Mario Vargas Llosa (2010), a alemã de origem romena Herta Müller (2009), o francês Jean-Marie Gustave Le Clézio (2008), a britânica Doris Lessing (2007), o turco Orhan Pamuk (2006), o britânico Harold Pinter (2005), a austríaca Elfriede Jelinek (2004) e o sul-africano J.M. Coetzee (2003).

 

A língua portuguesa foi laureada uma única vez, em 1998, com a atribuição do prémio ao escritor José Saramago, justificada pela Academia sueca com o facto de ele, "com parábolas sustentadas em imaginação, compaixão e ironia, permitir mais uma vez apreender uma realidade evasiva".

 

(notícia actualizada às 13:04 com mais informações sobre Alice Munro)

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI