Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSD acusa PS de propor meta de 5% para o défice de 2014 por eleitoralismo

O porta-voz do PSD, Marco António Costa, acusou hoje o PS de ter proposto a flexibilização da meta do défice de 2014 para 5% do Produto Interno Bruto (PIB) por eleitoralismo.

Bruno Simão/Negócios
Lusa 18 de Setembro de 2013 às 13:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 9
  • ...

"Julgo que o PS sabe que a discussão que tem existido é à volta dos 4,5%. O PS quis ser mais eleitoralista e, portanto, veio propor 5%. O PS anda nesta procura de cata-vento de campanha eleitoral para obter em todos os seus procedimentos ganhos eleitorais", declarou o porta-voz do PSD.

 

Marco António Costa, que falava no final de uma visita a uma empresa da freguesia de Arcozelo, no Concelho de Vila Verde, integrada na sua volta de campanha para as eleições autárquicas, sugeriu aos jornalistas que consultassem a proposta inicial do chamado PEC IV "do PS e de atuais dirigentes do défice relativamente aos objectivos do défice" para 2014 e 2015.

 

O porta-voz do PSD sugeriu à comunicação social que fizesse "uma estimativa do que é que isso significaria de políticas de austeridade até ao dia de hoje e nomeadamente no próximo ano para se atingir esses objectivos".

 

"Trata-se, sem dúvida, de um bom exercício. Recordar, neste caso, também é viver. É viver a realidade de um Governo do PS e de um PS, no seu todo, que se apresentava com um objectivo de défice de 1% no PEC IV, de um PS e de um Governo que considerava que era possível fazer esta redução num pouquíssimo espaço de tempo", disse Marco António Costa.

 

O social-democrata acrescentou que "o mesmo PS, pouco tempo depois" mudou de posição, "sempre num discurso - particularmente em campanha eleitoral - de facilidades e num discurso de completa indisponibilidade para o diálogo e a concertação estratégica".

 

Segundo Marco António Costa, o Governo PSD/CDS-PP tem sido "o mais exigente possível na defesa dos interesses de Portugal" nas negociações com a 'troika', "procurando antes resultados em vez de fazer proclamações com objectivos eleitoralistas".

 

Ver comentários
Saber mais défice PS troika PSD
Outras Notícias