Economia "Quando o povo tem fome, tem direito a roubar"

"Quando o povo tem fome, tem direito a roubar"

Belmiro de Azevedo discorda do aumento dos impostos, diz que prometer e não cumprir é "pecado" e acha que o Governo está "a brincar com o fogo", avisando que as mais recentes decisões políticas podem ter consequências sociais desastrosas: "Quando o povo tem fome, tem o direito de roubar".
Negócios 19 de maio de 2010 às 10:51
Belmiro de Azevedo discorda do aumento dos impostos, diz que prometer e não cumprir é “pecado” e acha que o Governo está “a brincar com o fogo”, avisando que as mais recentes decisões políticas podem ter consequências sociais desastrosas: “Quando o povo tem fome, tem o direito de roubar”.

O presidente do Conselho de Administração da Sonae falava ontem numa conferência organizada pelo Instituto Superior de Gestão, num evento coberto pela TVI, em que criticou de novo, e abertamente, as grandes obras públicas.

Belmiro de Azevedo diz que o país “não tem dinheiro” para financiar grandes projectos e que Portugal tão pouco precisa deles – numa referência ao TGV e ao novo aeroporto de Lisboa. Em sua opinião, a opção do Governo deve centrar-se na promoção de “pequenos investimentos”, porque são estes que, no imediato, podem gerar mais emprego.



Marketing Automation certified by E-GOI