Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Recessão norte-americana foi ainda mais forte do que o que se pensava

A queda da maior economia mundial estava estimada em 3,7% mas a queda foi de 4,1%.

Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 30 de Julho de 2010 às 15:24
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A crise sentida nos Estados Unidos entre 2007 e 2009 continua a ser a segunda pior recessão no país, logo a seguir à Grande Depressão de 1929, mas os números mostram que, afinal, a recessão económica foi ainda pior do que anteriormente estimado.

A contracção foi de 4,1% desde o último trimestre de 2007 até ao segundo trimestre do ano passado, quando se pensava que a queda fosse de apenas 3,7%, segundo afirmou o Departamento do Comércio americano com uma revisão dos números dos últimos anos.

De acordo com os novos dados, a pior época da crise foi logo após a falência da Lehman Brothers, no último trimestre de 2008, altura em que o Produto Interno Bruto caiu 6,8%, acima dos 5,4% registados nas previsões. Também esta marcou uma queda recorde do Produto Interno Bruto desde 1980. As despesas domésticas caíram 1,2% em 2009, quando se tinha projectado quase metade desse número. É um valor que representa a pior descida desde 1942, época da Segunda Guerra Mundial. A construção de residências caiu 22% por ano entre 2007 e 2009, um ponto percentual acima do que era reportado anteriormente, o que representa a pior queda no sector da habitação desde a Grande Depressão.

Maiores Poupanças

Menores gastos nos serviços, como os serviços financeiros e a reparação automóvel, levaram a que as compras dos consumidores tivessem reduzido nos três anos da crise, com a maior descida sentida em 2009.

No entanto, o rendimento disponível das famílias americanas aumentou 1,5% por ano entre 2007 e 2009, o que compara com uma projecção de 1,2%. Esta diferença levou a maiores poupanças, já que os americanos tinham maior rendimento mas gastavam menos. A taxa de poupança alcançou, assim, o maior valor desde 1992, com 7,2% no segundo trimestre de 2009.
Recuperação não está a ser tão acentuada como o esperado


Também a recuperação face a segunda maior recessão da história dos Estados Unidos não está a ser tão marcada como os dados anteriores mostravam. Nos últimos seis meses de 2009, a economia cresceu a uma média de 3,3% quando era esperado que se chegasse aos 3,9%.

Também segundo os dados divulgados hoje, o PIB subiu 2,4% no segundo trimestre, um valor inferior quando visto em comparação com um crescimento económico de 3,7% nos primeiros três meses de 2010.
Ver comentários
Outras Notícias