Política Rio anuncia ministros-sombra dentro de duas semanas

Rio anuncia ministros-sombra dentro de duas semanas

O Negócios apurou que o presidente social-democrata pretende levar fechados os nomes dos coordenadores e porta-vozes das 16 áreas temáticas do novo Conselho Estratégico Nacional.
Rio anuncia ministros-sombra dentro de duas semanas
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 08 de março de 2018 às 14:42

Os nomes dos ministros-sombra escolhidos por Rui Rio vão ser conhecidos dentro de duas semanas. O Negócios sabe que a nova direcção social-democrata pretende ter já fechada a equipa que vai preparar o programa eleitoral para as legislativas de 2019 na próxima reunião da Comissão Política Nacional (CPN), que terá lugar daqui a 15 dias.

Depois do encontro da CPN que decorreu ontem, o líder social-democrata anunciou uma "revolução" resultante do novo modelo do Conselho Estratégico Nacional (CEN), que ficará dividido em 16 áreas temáticas e que terá como líder da estrutura David Justino, vice-presidente do partido, que assim reforça o seu peso no PSD de Rio.

Cada uma destas 16 áreas terá um coordenador e um porta-voz, podendo num ou outro caso ser a mesma pessoa a desempenhar ambas as funções. Segundo apurou o Negócios, a intenção de Rio passa por recrutar esses especialistas não apenas no seio do PSD mas também fora do partido.

Ou seja, Rio quer fazer jus à vontade expressa de abrir o partido à sociedade civil recrutando independentes que possam assumir um papel de relevo no PSD. Sobre se o reforço de atribuições conferido ao novo CEN pode agravar o descontentamento na bancada parlamentar laranja, Rio admitiu ontem que pode provocar alguma "convulsãozita", garantindo porém que não passará de um "epifenómeno de quatro ou cinco" deputados.

No entender da nova direcção social-democrata, é importante trazer gente nova para o partido para lá daquela que está no Parlamento, até porque os deputados sociais-democratas já têm esse palco. A proposta apresentada na Comissão Política prevê ainda uma Comissão Consultiva composta por militantes e independentes de reconhecido mérito.

Rio explicou esta quarta-feira que cada uma das áreas poderá ainda contar com um vice-coordenador e com mais quatro ou cinco pessoas, sendo que "obrigatoriamente" nesses elementos estarão um ou dois membros do grupo parlamentar social-democrata. Esses deputados ficarão responsáveis pela ligação entre o CEN e o grupo parlamentar.

Rui Rio acrescentou que o coordenador será alguém "com mais idade, mais experiência" e o porta-voz alguém "mais jovem, que ainda tem de fazer um caminho". Os porta-vozes irão falar em nome do partido em cada uma das 16 áreas definidas.

Nesta altura são conhecidos apenas dois nomes que vão integrar a nova estrutura que ficará incumbida de escrever o programa eleitoral do PSD para as eleições legislativas do próximo ano. O ex-ministro de Cavaco Silva, Arlindo Cunha, vai coordenar a área temática da Agricultura e o professor Tiago Moreira de Sá será o coordenador da área de Relações Externas, função que acumulará com a liderança do Gabinete de Relações Internacionais do partido.


Falta ainda anunciar o nome dos outros 14 coordenadores para pastas que vão das Finanças Públicas à Economia, Inovação e Internacionalização, passando pela Saúde ou Ensino Superior, Ciência e Tecnologia. No encontro da Comissão Política que decorrerá daqui a duas semanas (ainda sem data oficial) será aprovada a estrutura final do novo Conselho Estratégico Nacional, podendo haver um pequeno ajustamento no número de áreas temáticas, disse Rio aos jornalistas.

Clique na imagem para ampliar:






pub