Mundo Santos Silva define como "muito útil" troca de informações com ministro russo

Santos Silva define como "muito útil" troca de informações com ministro russo

O chefe da diplomacia portuguesa, que deixa hoje Moscovo de regresso a Lisboa, falava momentos após o terceiro encontro com Lavrov em menos de dois anos, indicando, também sem adiantar pormenores, que deu informações e análises ao chefe da diplomacia russa sobre a atual crise política, económica e social na Venezuela.
A carregar o vídeo ...
Lusa 26 de fevereiro de 2018 às 15:14

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, "informou" hoje o homólogo português, Augusto Santos Silva, sobre a posição da Rússia nos conflitos na Síria e no Médio Oriente, numa troca de impressões considerada "muito útil" pelo ministro português.

 

Sem avançar pormenores, Santos Silva, que foi recebido hoje em Moscovo por Lavrov, limitou-se a indicar que, em relação ao cessar-fogo na Síria as posições são "convergentes", lembrando que o Conselho de Segurança da ONU aprovou, sábado á noite, por unanimidade, um trégua por um  período nunca inferior a 30 dias para permitir a abertura de "corredores humanitários".

 

"Destacaria a troca de informações que me pareceu muito útil para ambas as partes sobre a Síria e o Médio Oriente, em que aí, ouvi mais as informações e as análises que foram transmitidas pelo ministro russo", disse Santos Silva, contactado por telefone pela Lusa a partir de Lisboa.

 

O chefe da diplomacia portuguesa, que deixa hoje Moscovo de regresso a Lisboa, falava momentos após o terceiro encontro com Lavrov em menos de dois anos, indicando, também sem adiantar pormenores, que deu informações e análises ao chefe da diplomacia russa sobre a atual crise política, económica e social na Venezuela.

 

Os dois ministros, segundo Santos Silva, também passaram em revista o relacionamento da Rússia com a União Europeia (UE) e com a NATO, em que as duas partes "reafirmaram as suas posições, que são conhecidas".

 

Nas discussões foram também discutidas as situações no Sahel (terrorismo islâmico sobretudo no Mali e Nigéria) e no norte de África (Líbia), mas Santos Silva nada mais adiantou.

 

"A troca de opinião, essas consultas políticas sobre temas em áreas geográficas e geoestratégicas que interessam a ambos os países, foi muito útil", disse.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Neves 26.02.2018

Sempre tudo na boa

pub