Política Soares e Lula da Silva apresentam livro de Sócrates sobre tortura em democracia

Soares e Lula da Silva apresentam livro de Sócrates sobre tortura em democracia

Tese de mestrado sobre tortura em democracia será apresentada a 23 de Outubro pelos antigos chefes de Estado de Portugal e do Brasil.
Soares e Lula da Silva apresentam livro de Sócrates sobre tortura em democracia
Diogo Cavaleiro 14 de outubro de 2013 às 13:17

O livro de José Sócrates sobre a tortura em democracia será apresentado, no próximo dia 23 de Outubro, por Lula da Silva e por Mário Soares.

 

O antigo presidente brasileiro é o autor do prefácio da obra de Sócrates. Desde que foi anunciada a obra, havia a expectativa de que Lula poderia estar presente no lançamento. O que se confirmou esta segunda-feira, com o envio de uma nota à imprensa por parte da editora Babel.

 

Além de Lula da Silva, também Mário Soares estará presente na apresentação pública do livro do ex-primeiro-ministro português. O “Expresso”, que noticiou, em Setembro, a publicação desta tese de mestrado em livro, tinha já avançado que a obra contava com o apoio da Fundação Mário Soares. O antigo Presidente da República vai também apresentar a obra, evento que vai ocorrer pelas 18h30 de quarta-feira 23 de Outubro, no Museu da Electricidade, em Lisboa.

 

Não será a primeira vez que as três figuras estarão juntas. Em Março de 2011, estava já Sócrates demissionário, houve um jantar entre o então primeiro-ministro, Soares e Lula, que estava em Portugal para receber o doutoramento ‘honoris causa’ pela Universidade de Coimbra.

 

As ligações de Sócrates e Lula foram intensas durante o período em que Sócrates esteve à frente do Executivo, tendo até sido noticiado, embora negado, que Dilma Rousseff teria oferecido emprego a Sócrates depois da derrota nas eleições de 2011, num processo que teria sido intermediado por Lula.

 

"A tortura sobre determinadas circunstâncias"

 

“O 11 de Setembro trouxe-nos uma novidade: pela primeira vez uma democracia, envolvida numa guerra contra o terror, não usa a tortura de forma clandestina - fora da lei – mas tenta introduzi-la num quadro de excepção dentro da lei”, assinala a nota sobre o livro intitulado “A Confiança no Mundo: Sobre a Tortura em Democracia”. O livro é a dissertação de mestrado em Teoria Política, que foi defendida por José Sócrates no Institut d’Études Politiques de Paris (Science Po), instituto para onde foi estudar depois de perder as eleições de Junho de 2011.

 

Segundo disse Sócrates ao “Expresso”, em Setembro, “a tortura não é um assunto do passado”. “É um tema muito discutido hoje em dia”, acrescentou.

 

O livro esteve envolto em polémica. Cerca de um mês antes de ser conhecida a obra, no mês passado, a revista “Sábado” contactou o governante com a ideia de que a tortura seria o tema da sua tese de mestrado. Questionado sobre esse facto, Sócrates terá dito que não era verdade e pediu à jornalista da revista para não escrever isso, "porque estará a enganar e a induzir em erro os leitores".

 

A peça não foi escrita mas, quando saiu a notícia de que o tema da tese era mesmo a tortura, a “Sábado” voltou a falar com José Sócrates para questionar o anterior desmentido. “Você disse que a minha tese era sobre tortura e não é. A minha tese não é sobre tortura. É sobre tortura em determinadas circunstâncias, embora, é claro, eu não tenha na altura acrescentado essa informação”, justificou-se. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI