Américas Suspeito do tiroteio de Dallas queria matar brancos, sobretudo polícias

Suspeito do tiroteio de Dallas queria matar brancos, sobretudo polícias

O ataque desta madrugada matou cinco polícias e feriu nove pessoas, sete das quais também agentes da polícia no estado do Minnesota, Estados Unidos. Já é conhecida a identidade do atirador.
Suspeito do tiroteio de Dallas queria matar brancos, sobretudo polícias
Reuters
Negócios com Lusa 08 de julho de 2016 às 15:36
O suspeito do tiroteio de Dallas disse que queria matar brancos por causa dos polícias que mataram dois homens negros nos Estados Unidos, disse esta sexta-feira, 8 de Julho, o chefe da polícia, David Brown.

O indivíduo está a ser identificado pelos meios de comunicação social dos EUA, entre os quais a CBS, como Micah Xavier Johnson, de 25 anos, residente em Mesquite, Texas.

O suspeito do ataque de Dallas disse aos negociadores que queria matar brancos, sobretudo polícias brancos, depois de agentes da polícia terem morto a tiro dois homens negros esta semana nos estados do Luisiana e do Minnesota, disse o chefe da polícia numa conferência de imprensa.

"Não há palavras para descrever a atrocidade que afetou a nossa cidade. Tudo o que digo é que isto tem de parar, esta divisão entre a nossa polícia e os nossos cidadãos", salientou David Brown.

O apelo à união foi feito depois do ataque que matou cinco polícias e feriu nove pessoas -- sete das quais eram também agentes.

O suspeito foi morto por um explosivo detonado pela polícia durante um impasse, depois do tiroteio de quinta-feira à noite, numa manifestação pacífica de protesto contra a atuação da polícia nos dois casos da morte dos homens negros, explicou David Brown.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI