Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Taxa de juro implícita no crédito à habitação voltou a subir em Novembro

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação fixou-se, no mês de Novembro, em 5,455%, mantendo a tendência de subida que iniciou em Dezembro de 2005, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

Maria João Soares mjsoares@negocios.pt 28 de Dezembro de 2007 às 15:46
  • Partilhar artigo
  • ...

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação fixou-se, no mês de Novembro, em 5,455%, mantendo a tendência de subida que iniciou em Dezembro de 2005, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

O incremento de Novembro representou uma subida de 0,145 pontos percentuais (p.p.) face a Outubro de 2007.

De acordo com a mesma fonte, a taxa implícita nos contratos celebrados nos últimos 3 meses aumentou 0,240 p.p., fixando-se em 5,201%.

O INE adianta que a subida mensal da taxa de juro implícita no conjunto dos contratos em vigor ocorreu em todos os períodos considerados, registando-se acréscimos mensais de 0,240 p.p. para os contratos celebrados nos últimos 3 meses, de 0,208 p.p. (últimos 6 meses) e de 0,195 p.p. (últimos 12 meses), fixando-se as respectivas taxas de juro implícitas em 5,201%, 5,080% e 5,083%.

A subida mensal da taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação em vigor abrangeu, ainda, os dois Regimes de Crédito. A taxa de juro do Regime Geral registou uma subida de 0,159 p.p., passando para 5,333%, enquanto a do Regime Bonificado Total aumentou 0,100 p.p., situando-se em 5,906%.

No mês de Novembro, o valor médio do capital em dívida no total dos contratos de crédito à habitação em vigor foi de 52.357 euros, traduzindo um acréscimo de 190 euros face ao mês anterior.

Em relação aos destinos de financiamento considerados, o valor médio do capital em dívida na totalidade dos contratos associados à aquisição de habitação foi de 56.166 euros, mais 196 euros do que em Outubro, enquanto nos contratos para construção de habitação foi de 40.845 euros, traduzindo um decréscimo de 85 euros.

Ver comentários
Outras Notícias