Política "Tenho condições para assumir a responsabilidade de líder parlamentar"

"Tenho condições para assumir a responsabilidade de líder parlamentar"

Perante o mau resultado na eleição, Fernando Negrão considera que tem condições para assumir a liderança do grupo parlamentar do PSD.
"Tenho condições para assumir a responsabilidade de líder parlamentar"
António Pedro Santos/Lusa
Marta Moitinho Oliveira 22 de fevereiro de 2018 às 18:35
Fernando Negrão considera que tem condições para assumir a liderança da bancada parlamentar do PSD, depois de ter conseguido apenas 39% dos votos, quase tantos brancos como votos a favor. "Não considero que saia daqui enfraquecido", disse no Parlamento em declarações aos jornalistas.  

"Acho que tenho condições para assumir a responsabilidade de líder parlamentar", afirmou, justificando que o momento é difícil e que o timing das eleições para a bancada não ajudou.  

"O PSD está num processo de transformação de políticas e de atitude em relação à sociedade", começou por dizer, acrescentando que estas fases "trazem sempre alguma convulsão e dificuldades". 

"Sabia que estas dificuldades se podiam reflectir na eleição", concluiu.

Negrão foi eleito com 35 votos favoráveis, 32 brancos e 21 nulos. Um deputado não votou.  

No entanto, Negrão não considerou que a sua legitimidade saísse beliscada, preferindo olhar para os votos brancos como um "benefício da dúvida" e não uma oposição. 
 

"Acho que tenho condições para assumir a responsabilidade da liderança parlamentar", afirmou. 

No entanto, não deixou de deixar críticas internas para a bancada. Questionado sobre o facto de ter obtido menos dois votos do que o número de deputados que aceitaram integrar as listas com que concorreu, Negrão falou em "problemas de natureza ética". 

"
Assumi a minha responsabilidade de me candidatar. O que não aconteceu com mais nenhum deputado", lembrou. Há aqui um "problema de natureza ética" e não um problema político, porque "houve pessoas que aceitaram integrar a lista e votaram em branco". "Há duas pessoas que, no plano ético, é perfeitamente condenável a sua atitude". "Há um problema neste grupo parlamentar", concluiu. 

Negrão admitiu ainda que a eleição sendo "muito próxima" do Congresso que aconteceu no fim-de-semana passado, acabou por ainda ser afectada pelo ambiente de mudança para o qual há sempre resistências, explicou.   


O líder eleito do grupo parlamentar adiantou que "vai reunir para a semana a bancada" e revelou que teve o "apoio" de Rio na decisão de assumir a liderança perante o mau resultado. 


(Notícia actualizada às 18:50)



Saber mais e Alertas
pub