Mundo Terror em Londres faz cinco mortos e 40 feridos

Terror em Londres faz cinco mortos e 40 feridos

Pelo menos cinco pessoas morreram e outras 40 ficaram feridas, entre elas um português, na sequência de um ataque terrorista, esta quarta-feira, junto ao Parlamento britânico, em Londres.
A carregar o vídeo ...

Cinco pessoas morreram e pelo menos 40 ficaram feridas, entre elas um cidadão português, num ataque terrorista perpetrado quarta-feira, junto ao parlamento britânico, em Londres, quando um homem ao volante de uma viatura atropelou vários transeuntes na ponte de Westminster e apunhalou depois um polícia, que viria a falecer.

 

De acordo com o novo balanço efectuado esta noite pelo chefe da unidade antiterrorista da polícia de Londres, Mark Rowley, três civis morreram, bem como um polícia e o atacante, que foi abatido pelas forças de segurança.

 

Entre os feridos encontra-se um jovem português de 26 anos, que foi atropelado sofrendo cortes profundos num joelho e numa mão, mas já teve alta hospitalar e encontra-se bem, revelou o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, citado pela Lusa. 

 

A primeira-ministra, Theresa May, que estava no parlamento, foi de imediato retirada do local, envolta em fortes medidas de segurança, contou o Guardian. Como medida de precaução, as autoridades accionaram o plano de emergência para Londres, que foi colocada no segundo nível mais elevado de alerta.

 

Refira-se que o nível de alerta terrorista no Reino Unido foi fixado em Agosto de 2014 em "grave", o quarto de uma escala de cinco.  A Scotland Yard anunciou no início de Março que os serviços de segurança britânicos frustraram 13 tentativas de atentados terroristas em Junho de 2013.

 

Este ataque ocorreu no dia em que a Bélgica assinalava a passagem do primeiro ano após o atentado terrorista que provocou a morte a 32 pessoas em Bruxelas.

 

Líderes internacionais solidarizam-se

 

O acto terrorista foi entretanto condenado pelos líderes mundiais. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, descreveu-o como "grave notícia", e o Departamento de Estado norte-americano disse estar pronto para ajudar as autoridades britânicas "em tudo o que possam considerar útil".

 

Já a chanceler alemã, Angela Merkel, citada pela agência Lusa, reafirmou que "a Alemanha e os seus cidadãos mantêm-se firmemente e resolutamente ao lado dos britânicos na luta contra todas as formas de terrorismo". François Hollande expressou igualmente o seu apoio ao povo britânico. "Expressamos em nome de França toda a nossa solidariedade e o nosso apoio ao povo britânico e à primeira-ministra, Theresa May", declarou o chefe de Estado francês.

 

Marcelo Rebelo de Sousa mostrou também a solidariedade de Portugal para com o Reino Unido. "Estamos solidários, a União Europeia e Portugal, com aqueles nossos parceiros naquilo que é a afirmação dos valores da paz, da liberdade e da democracia", declarou o Presidente, à saída de uma reunião na Comissão Europeia, que marcou o final de uma visita oficial a Bruxelas.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI