Autarquias Tribunal obriga Basílio Horta a explicar origem de 6,5 milhões de euros

Tribunal obriga Basílio Horta a explicar origem de 6,5 milhões de euros

O presidente da Câmara de Sintra foi chamado pelo Tribunal Constitucional a explicar a sua declaração de rendimentos. Autarca diz que foi um procedimento automático na sequência de uma correcção que apresentou. A notícia é da edição desta quarta-feira do Correio da Manhã.
Tribunal obriga Basílio Horta a explicar origem de 6,5 milhões de euros
Bruno Simão
Negócios 21 de fevereiro de 2018 às 09:14

Basílio Horta teve de ir ao Tribunal Constitucional, a pedido do Ministério Público junto daquele tribunal superior, para explicar a origem de 6,5 milhões de euros que declarou ter em três depósitos bancários a prazo, escreve hoje o Correio da Manhã.

 

Segundo o jornal, em causa estava a declaração entregue pelo autarca em 2010, tendo Basílio informado o tribunal de que os valores em causa correspondiam à acumulação de poupanças ao longo do tempo.

 

Em 2002, segundo o Tribunal Constitucional, o autarca tinha 834 mil euros, um valor que em Maio de 2010 chegava aos 6,5 milhões de euros. Ao Correio da Manhã, Basílio Horta explicou que o dinheiro integra contas conjuntas, em seu nome e da mulher, e que têm origem no trabalho de ambos, em investimentos, juros de capital, rendimentos prediais rústicos e urbanos e venda de património urbano.

 

O pedido do Tribunal para que os valores fossem explicados teve a ver, explica ainda Basílio, com um erro na declaração que apresentou e na qual, em vez de 5.600 euros deveria ter posto o valor de 5.600.000 de euros. Seria um "evidente lapso" e o pedido de esclarecimentos do Ministério Público foi "um procedimento automático", justifica o presidente da câmara de Sintra.  




A sua opinião37
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Basílio, já, para Ministro das Finanças ! 21.02.2018

Se de facto este aumento espetacular de património
tem por origem o que o Dr. Basílio diz
(acumulação e multiplicação de poupanças)
e não qualquer herança entretanto recebida
(porque não se supõe que um antigo “Menino da Luz”,
e um prestigiado ex-elemento do CDS
e atualmente do PS,
possa ter andado envolvido em atividades menos claras),
então este Senhor é mais um génio nacional,
um Sebastião ressuscitado e enviado em manhã de nevoeiro
para salvar os Portugueses,
e que, como Ministro das Finanças,
nos poderia retirar da fossa sinistra da dívida pública
em que todos estamos mergulhados até ao pescoço.
Portugueses, Cidadãos :
Basílio, já, para Ministro das Finanças !

comentários mais recentes
Anónimo 16.03.2018

JÁ TODA A GENTE ESTÁ A VER COMO O SR, BASÍLIO ARRANJOU OS 6 5OO OOO DE EUROS............FOI NO EUROMILHÕES, CLARO............... OS POLÍTICOS SÃO TODOS POUPADINHOS........... QUANTO MAIS GASTAM MAIS TEM. CLARO QUE ISTO É UM MILAGRE, MAS NA POLÍTICA, JÁ ESTAMOS HABITUADOS A ESTES MILAGRES.......

pertinaz 12.03.2018

SE É QUE TEM EXPLICAÇÃO...

Anónimo 11.03.2018

Os 800 mil euros, são produto de poupança, com com origem no Estado Novo. A multiplicação para 6,5 milhões, é rendimento obtido com a Revolução de Abril!!!

Anónimo 11.03.2018

Explicar? Quem tem que se explicar é o zézito que à custa de muitas privações lá conseguiu juntar 50 mil. Duvidas? Perguntem à Mortágua. "Criminalização da RIQUEZA ilícita"??

ver mais comentários
pub