Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Tribunal Constitucional autoriza aumento dos descontos da Função Pública para a ADSE

O Tribunal Constitucional deu luz verde ao aumento dos descontos da Função Pública para a ADSE e outros subsistemas de saúde. O diploma aprovado esta quinta-feira prevê um agravamento das contribuições de 2,5% para 3,5%. A proposta gerou, em Março, um braço-de-ferro entre o Governo e o Presidente da República, agora resolvido, a favor do Executivo, pelos juízes do Constitucional .

Bruno Simão/Negócios
  • Assine já 1€/1 mês
  • 170
  • ...

Os juízes do Tribunal Constitucional deram esta quinta-feira, 6 de Novembro, luz verde ao aumento de 2,5% para 3,5% da contribuição de funcionários públicos e pensionistas sobre os seus vencimentos e pensões para a ADSE e subsistemas de saúde (ADM e SAD).

 

O diploma, aprovado a 30 de Janeiro em Conselho de Ministros, foi enviado para o Parlamento pelo Governo a 13 de Março, depois de Cavaco Silva o ter chumbado. O Chefe de Estado argumentava, na altura, que o diploma lhe suscitava "sérias dúvidas de que seja necessário aumentar as contribuições dos 2,5% para 3,5%, para conseguir o objectivo pretendido [auto-sustentabilidade dos subsistemas de saúde em causa]".

 

"Numa altura em que se exigem pesados sacrifícios aos trabalhadores do Estado e pensionistas, com reduções nos salários e nas pensões, tem de ser demonstrada a adequação estrita deste aumento ao objectivo de auto-sustentabilidade dos respectivos sistemas de saúde", sublinhou o Presidente da República, admitindo, porém, promulgar um diploma revisto desde que a nova taxa de contribuição seja inferior a 3%.

 

Nesse mesmo dia o Executivo, à revelia da posição tomada por Cavaco Silva, enviou o mesmo diploma - sem alterações - para a Assembleia da República, onde seria aprovado pela maioria no dia 17 de Abril. O Presidente da República acabaria por promulgar o diploma no dia 9 de Maio, sendo este publicado em Diário da República no dia 19 do mesmo mês. A presidência acabou assim por prescindir da possibilidade de requerer que os juízes do Palácio Ratton se pronunciassem sobre a constitucionalidade do referido diploma.

 

A avaliação da constitucionalidade do agravamento dos descontos para a ADSE acabaria por ser solicitada pelo PCP, Bloco de Esquerda e Verdes já no final de Junho, mês em que os cortes começaram a ser aplicados. Esta quinta-feira, os juízes do Palácio Ratton acabaram por viabilizar o aumento dos descontos para a ADSE, cuja inconstitucionalidade provocaria um buraco de 133 milhões de euros no Orçamento rectificativo de 2014. 

 

(Notícia actualizada às 20h40 com mais informação)

Ver comentários
Saber mais Tribunal Constitucional ADSE Função Pública
Outras Notícias