Mundo Trump diz que críticas a May são “notícias falsas”

Trump diz que críticas a May são “notícias falsas”

Donald Trump considera que o que foi extraído da entrevista que deu ao jornal Sun se trata de “notícias falsas”, defendendo que não foram incluídos os comentários positivos que o presidente dos EUA fez sobre Theresa May.
Sara Antunes 13 de julho de 2018 às 14:57

O presidente dos EUA recusa ter criticado a primeira-ministra britânica, considerando as notícias que foram publicadas de "falsas", uma vez que não foram incluídos os comentários positivos que Donald Trump fez sobre a Theresa May.

 

"Eu não critiquei a primeira-ministra", sublinhou Trump durante a conferência de imprensa, depois de ter dado uma entrevista ao jornal Sun onde acusou a primeira-ministra britânica de arruinar o objectivo dos britânicos de saírem da União Europeia, com a sua abordagem "suave" das negociações com Bruxelas, o que deverá "matar" futuros acordos comerciais com os EUA.

 

Esta sexta-feira, 13 de Julho, Trump salientou aos jornalistas que disse "coisas boas" sobre May e que isso não está reflectido na entrevista publicada.

O presidente dos EUA considera mesmo que May tem feito um "trabalho fantástico". Trump garante que vai apoiar o Reino Unido seja qual for a política seguida para o Brexit, deixando apenas um desejo: que Londres garanta que as relações comerciais entre os dois países seja positiva.

"Uma vez que o processo do Brexit esteja concluído e quando o Reino Unido tiver saído da UE, não sei o que é que eles vão fazer mas independentemente do que [Londres] fizer está bem para mim, é a vossa decisão", sublinhou o presidente dos EUA, citado pela Reuters, numa conferência em que Theresa May também se encontrava.

 

"O que quer que façam está bem para nós, assegurem apenas que podem fazer negócios" com os EUA, "é tudo o que importa. Esta é uma oportunidade incrível para os nossos dois países e vamos aproveitá-la totalmente", acrescentou.

Sobre as relações comerciais entre o Reino Unido e os EUA, Theresa May disse que os dois responsáveis acordaram que "com o Reino Unido a sair da União Europeia, vamos prosseguir com um acordo de comércio livre ambicioso" entre os dois países.


Donald Trump defende assim um "comércio justo" com Londres, reiterando que os EUA não têm "um acordo justo com a União Europeia sobre o comércio" acusando a região de tratar "horrivelmente os Estados Unidos". O presidente americano garante que esta questão "vai mudar. E se não mudar, eles vão ter que pagar um preço muito alto e eles sabem o que é esse preço", ameaçou, citado pela Lusa.


(Notícia actualizada às 15:06 com mais declarações)