Mundo Trump diz que EUA abdicam de tarifas sobre importações se UE abolir barreiras  

Trump diz que EUA abdicam de tarifas sobre importações se UE abolir barreiras  

Os EUA vão começar a aplicar tarifas aduaneiras de 25% às importações de aço e de 10% às de alumínio dentro de 15 dias, com o Canadá e o México excluídos destes direitos aduaneiros, anunciou na quinta-feira a Casa Branca.
Trump diz que EUA abdicam de tarifas sobre importações se UE abolir barreiras   
Lusa 11 de março de 2018 às 15:00

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou hoje que renuncia aos impostos sobre as importações de aço e alumínio aplicados à União Europeia, se os 28 abdicarem das barreiras aos produtos dos Estados Unidos (EUA).

 

Os impostos de 25% sobre as importações de aço e 10% sobre as de alumínio anunciadas por Trump têm sido criticadas pelos europeus e outros parceiros comerciais dos EUA, como o Japão, mas não foi encontrada uma solução hoje nas conversações entre representantes das três partes, em Bruxelas.

 

"A União Europeia, países maravilhosos que tratam muito mal os Estados Unidos no comércio, queixam-se dos impostos sobre o aço e o alumínio. Se eles abandonarem os seus horríveis obstáculos e os seus direitos aduaneiros sobre produtos norte-americanos, nós abandonaremos os nossos. Se não, taxamos as viaturas, etc. Justiça!", escreveu o presidente na rede social Twitter.

 

Depois do encontro de hoje, na capital belga, os europeus manifestaram o seu desapontamento ao representante norte-americano do Comércio Robert Lighthizer. A reunião incluiu ainda a comissária do Comércio Cecilia Malmström e o ministro japonês da Economia, Hiroshige Seko.

 

O Japão, como a União Europeia, exige isenção dos impostos.

 

"A discussão foi franca", mas "não obtivemos clareza imediata sobre o procedimento sobre como ficar isento e as discussões continuarão na próxima semana", disse Malmström na sua conta do Twitter, após a reunião que durou cerca de quatro horas.

 

Os EUA vão começar a aplicar tarifas aduaneiras de 25% às importações de aço e de 10% às de alumínio dentro de 15 dias, com o Canadá e o México excluídos destes direitos aduaneiros, anunciou na quinta-feira a Casa Branca.

 

Entretanto, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, advertiu os EUA de que as guerras comerciais "são más e fáceis de perder".

 

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 13.03.2018

Esse habito de fazer dos EUA o vasadouro de produtos altamente subsidiados, a preco muito mais baratos do que os produzidos nos Estados Unidos vai acabar. nao val a pena chorar: haja fair free trade!!! e nada de arrogancia.

comentários mais recentes
Anónimo 13.03.2018

Esse habito de fazer dos EUA o vasadouro de produtos altamente subsidiados, a preco muito mais baratos do que os produzidos nos Estados Unidos vai acabar. nao val a pena chorar: haja fair free trade!!! e nada de arrogancia.

Alentejano 12.03.2018

mas que chatice os americanos querem banir produtos de qualidade ao mesmo tempo que nos querem obrigar a comer transgénicos ? Ou a aceitar produtos nocivos em troca do nosso melhor ? faz lembrar a guerra do Opio.

pub