Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Trump revela orientações para reabertura da economia nos EUA

O presidente norte-americano anunciou as diretrizes para a reabertura da atividade económica no país.

A carregar o vídeo ...
Carla Pedro cpedro@negocios.pt 16 de Abril de 2020 às 23:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Donald Trump apresentou, às 16:00 em Washington (23:00 em Lisboa) as orientações relativas à reabertura da atividade económica no país, que segmentou em três fases.

 

Depois de ter falado com os governadores de todos os estados nesta quinta-feira, tendo apresentado as recomendações para que as suas atividades reabram, o presidente norte-americano falou ao país.

 

Trump e os membros da Task Force da Casa Branca dedicada ao coronavírus partilharam as orientações num documento intitulado "Opening up America Again", que passam pelo início da flexibilização das medidas de distanciamento social e da ordem de confinamento. "É altura de nos prepararmos para a próxima frente na guerra que estamos a travar: Abrir a América Outra Vez", sublinhou Trump.



Os protocolos não sugerem um prazo para quando devem os Estados levantar as restrições. "Os governadores terão poderes para personalizarem uma abordagem que vá ao encontro das várias circunstâncias dos seus próprios Estados", declarou Trump.

A Casa Branca propos uma lista de seis critérios a que os Estados devem "obedecer antes de passarem a uma reabertura faseada" [em três etapas].

Entre esses critérios está a diminuição dos estados gripais reportados durante um período de 14 dias e uma trajetória descendente nos casos semelhantes à doença do coronavírus também num mesmo período de duas semanas. Além disso, deverá haver uma redução nos casos documentados de covid-19 durante 14 dias ou um declínio na percentagem de testes de covid-19 que se revelam positivos se o volume de testes aumentar ou permanecer nos atuais níveis. Por outro lado, os hospitais devem ter capacidade de tratar todos os doentes fora do contexto de "cuidados de crise" e deverá estar em funcionamento um programa para a realização de testes junto de todos os profissionais de saúde em risco, incluindo testes de imunidade à covid-19.

Durante as fases um e dois de reabertura gradual da atividade económica, as orientações dizem que as pessoas mais idosas e as que têm problemas de saúde graves devem continuar isoladas em casa.

Na fase três, as restrições serão grandemente flexibilizadas, com a permissão de voltar a haver visitas aos lares e hospitais, ao passo que os restaurantes, bares, cinemas, recintos desportivos e locais de grandes aglomerações poderão operar com base em "protocolos de distanciamento físico".

Nesta última fase, os indivíduos vulneráveis podem assim retomar a interação com outras pessoas, "mas devem praticar a distância física, minimizando a exposição a locais onde esse distanciamento não seja viável, a menos que haja medidas precaucionárias". Por seu lado, a população de baixo risco deve ponderar, nesta fase, minimizar o tempo que passa em ambientes com muita gente.

Apesar destas diretrizes federais, alguns Estados já se comprometeram a manter as atuais restrições em vigor, como é o caso de Nova Iorque – que mantém a ordem de "shutdown" até pelo menos 15 de maio.

"Os especialistas dizem que a curva [das novas infeções por covid-19] achatou e que o pico, nalguns casos, já foi atingido", afirmou o chefe da Casa Branca na sua alocução ao país. Trump disse ainda que estes têm sido tempos difíceis para o país, mas que a batalha será vencida.

Os Estados Unidos, que registaram sua primeira morte ligada ao coronavírus no final de fevereiro, são o país mais afetados em termos de número de mortes e de casos, com 31.590 óbitos em 648.788 casos, enquanto 53.489 pessoas foram declaradas curadas pelas autoridades norte-americanas, referiu hoje a AFP na sua atualização sobre a covid-19 a nível mundial.

Na frente económica, o país continua a ser fortemente fustigado pela retração da atividade. Hoje foi anunciado que na semana passada os novos pedidos de subsídio de desemprego nos EUA aumentaram em 5,2 milhões. Com este novo dado, subiu para cerca de 22 milhões o número de novos pedidos deste subsídio nas últimas quatro semanas.

(atualizada às 00:39)

Ver comentários
Saber mais Donald Trump EUA política covid-19
Mais lidas
Outras Notícias