Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Trump vendeu todas as suas participações accionistas em Junho

O presidente eleito dos Estados Unidos vendeu todas as suas acções em Junho passado, declarou um porta-voz de Donald Trump. Boeing, Apple e Ford estão entre os investimentos de que abriu mão.

Reuters
Carla Pedro cpedro@negocios.pt 07 de Dezembro de 2016 às 15:29
  • Partilhar artigo
  • ...

Em Junho deste ano, Donald Trump – que no dia 8 de Novembro venceu as eleições presidenciais norte-americanas – desfez-se de todas as posições accionistas que detinha, afirmou ontem um porta-voz do republicano, Jason Miller, citado pela Bloomberg.

 

Depois de, a 2 de Agosto, Trump ter dito numa entrevista à Fox Business, que já não detinha quaisquer acções de empresas, Miller confirmou ontem que o magnata do imobiliário tinha vendido tudo em Junho.

 

Trump, que assume as suas funções na Casa Branca a 20 de Janeiro, desfez-se das participações que detinha no capital de cerca de 100 empresas, como a Apple, Microsoft, Exxon Mobil, Ford Motor, Citigroup, Pepsi, General Electric e Boeing – e cujo valor ascendia a 38 milhões de dólares – referem a Bloomberg e a CNN.

 

Ontem, recorde-se, Donald Trump criticou a Boeing pelo elevado preço que a construtora aeronáutica pede pelo fornecimento de um novo avião presidencial, o Air Force One. Com estas críticas, as acções da empresa encerraram em baixa.

 

O próximo presidente dos EUA anunciou também, recentemente, que pretende anunciar no dia 15 de Dezembro que irá largar todos os seus negócios no âmbito da Trump Organization.

 

O porta-voz de Trump não especificou, nas suas declarações de ontem, se o sucessor de Barack Obama também vendeu todas as suas obrigações corporativas – já que as detinha quando apresentou, em Maio passado, a sua declaração relativa à titularidade de acções e dívida.

A CNN perguntou à equipa de transição de Trump se este ainda mantinha em Junho os seus investimentos em fundos de cobertura de risco – avaliados em 80 milhões de dólares – mas não foi dada resposta.

 

"Verificar se Trump de facto já vendeu todas as suas acções é difícil. A sua última declaração financeira foi apresentada em Maio de 2016 e, legalmente, só tem de voltar a apresentar em Maio de 2018 a próxima declaração ao Gabinete de Ética Governamental", salienta a CNN a propósito das declarações feitas ontem por Miller.

 

No entanto, acrescenta a CNN, "todos os outros presidentes apresentaram voluntariamente as suas titularidades financeiras durante os seus primeiros anos de mandato desde que foi aprovada em 1978 a Lei de Ética Governamental, na sequência do escândalo Nixon".

Há, contudo, quem se mostre céptico. É o caso de Kurt Eichenwalt. O jornalista da Newsweek e The New York Times escreveu no seu Twitter que o melhor é não acreditar nas declarações de Trump – que em 1987 lhe disse o mesmo, acabando por se provar que era mentira quando apresentou a sua declaração financeira ao regulador do mercado de capitais (Securities and Exchange Commission [SEC], equivalente à CMVM em Portugal).

Ver comentários
Saber mais Donald Trump Jason Miller Apple Microsoft Exxon Mobil Ford Motor General Electric Boeing Air Force One EUA Barack Obama Gabinete de Ética Governamental Lei de Ética Governamental política
Outras Notícias