Obrigações Turquia quer criar uma agência de notação financeira ainda este ano

Turquia quer criar uma agência de notação financeira ainda este ano

A Turquia quer criar ainda este ano uma agência de notação financeira, anunciou o presidente da entidade de regulação e supervisão bancária do país (BDDK, na sigla em turco), Mehmet Ali Akben.
Turquia quer criar uma agência de notação financeira ainda este ano
UMIT BEKTAS
Lusa 13 de março de 2018 às 00:05

"Vemos que é necessária uma agência de notação nacional que vai ser utilizada pelos nossos bancos", afirmou Akben à imprensa turca, sublinhando que o plano é ter a agência criada ainda este ano.

 

O presidente da BDDK explicou que uma fórmula para criar a agência seria através de uma empresa privada ou da cooperação de vários bancos, mas garantiu que nenhuma destas instituições teria mais de 10% do capital da nova entidade. "É importante que a entidade se estabeleça de acordo com os padrões internacionais e funcione de maneira independente", considerou.

 

O anúncio foi feito uma semana depois de a Moody's ter descido a nota atribuída à Turquia de Ba1 para Ba2, que corresponde a um grau de investimento especulativo, vulgarmente designado como 'lixo', argumentando com o risco criado pelo défice e pela dívida externa e os tarsos verificados na concretização de reformas económicas.

 

Além disso, a agência desceu a perspectiva da Turquia de 'estável' para 'negativa'.

 

"O Governo parece estar concentrado em medidas de curto prazo, em detrimento de uma reforma monetária efectiva e de uma reforma económica fundamental", detalhou a Moody's, ao explicar a sua descida da nota atribuída à qualidade creditícia turca.

 

O presidente da BDDK exprimiu a sua desconfiança das agências internacionais de notação financeira: "É óbvio que temos problemas em confiar nestas agências".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Dono dos Burros 13.03.2018

Sultão, tudo o que faças conta com o meu apoio. Está na hora de mandares estes canalhas americanos dar uma volta.

Saber mais e Alertas
pub