Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

TV Cabo quer aumentar EBITDA acima dos 30% no final de 2003 (act)

A TV Cabo tem como objectivo aumentar a sua margem de «cash flow» operacional acima dos 30% em 2003, com a contribuição, quer ao nível das receitas quer dos custos, do relançamento dos canais de cinema pagos.

Bárbara Leite 26 de Maio de 2003 às 13:54
  • Partilhar artigo
  • ...

(actualiza com mais informação)

A TV Cabo tem como objectivo aumentar a sua margem de «cash flow» operacional acima dos 30% em 2003, com a contribuição, quer ao nível das receitas quer dos custos, do relançamento dos canais de cinema pagos, revelou Zeinal Bava, presidente da PT Multimédia.

«Acreditamos (na TV Cabo) ter uma margem de EBITDA acima de 30% (acumulado em termos anuais) no quarto trimestre de 2003», adiantou Zeinal Bava em conferência de imprensa, salientando que «esta iniciativa (relançamento a 1 de Junho dos novos canais de cinema) vai contribuir para esse objectivo que é ambicioso».

No final de 2002, a TV Cabo, detida a 100% pela PT Multimédia [PTM], alcançou uma margem de EBITDA de 22,3% contra os 12% registados em 2001.

O novo presidente da PT Multimédia perspectiva um aumento das receitas da televisão por cabo, reiterando não ter intenção de vender ou reduzir posição na TV Cabo.

«O aumento das receitas vão depender de conseguirmos vender mais do produto. E há condições para vender mais», destacou a mesma fonte.

A TV Cabo detinha, em Março de 2003, 70% dos clientes com serviços de canais pagos (cinemas, desporto, adultos e infantil). Nos cinemas, esse penetração cai para cerca de 40% da base de clientes da TV Cabo ou cerca de 220 mil clientes.

«Temos cerca de 220 mil clientes e, é óbvio que é possível aumentar» este número, disse Zeinal Bava, no final da conferência de imprensa para apresentação dos novos canais de cinema, que são acompanhados do fim da parceria com a SIC e a Globo.

A emissão vai passar a ser feita de Portugal e será a Lusomundo responsável pelos conteúdos dos canais que integrarão os títulos das distribuidoras portuguesas e produtoras independentes.

«Vamos ver qual é a adesão dos clientes. O som é melhor e o encadeamento das estreias é melhor», realçou Zeinal Bava.

Este é o primeiro passo de captação de sinergias entre as empresas da PT Multimedia (Lusomundo e TV Cabo).

Depois de apreender o «know how» com a parceria com a SIC e a Globo, a operadora nacional decidiu ficar sozinha nos canais pagos de cinema, alterando a designação para Lusomundo Premium e Lusomundo Gallery e, lançando três canais que permitem ao utilizar alugar um filme directamente da televisão.

Estes novos produtos (de entretenimento) «permite-nos aumentar o orçamento familiar que é gasto com o grupo PT», segundo Zeinal Bava.

As acções da PT Multimédia cotavam nos 15,50 euros, a cair 0,64%.

Outras Notícias