Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ucrânia enfrenta risco de incumprimento devido a exigência da Rússia

A Rússia ameaçou cobrar antecipadamente uma dívida de 3 mil milhões de dólares, levando a Ucrânia a enfrentar risco de incumprimento, noticia a Bloomberg.

Reuters
Vera Ramalhete veraramalhete@negocios.pt 16 de Janeiro de 2015 às 17:23
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...

O primeiro-ministro russo Dmitri Medvedev (na foto) anunciou esta semana que decidirá "em breve" sobre o empréstimo de três mil milhões de dólares feito à Ucrânia. Esta exigência levaria o país a entrar em incumprimento, afirma Regis Chatellier, um estratega da Societe Generale SA em Londres, à Bloomberg

 

Na frente económica do conflito entre a Ucrânia e a Rússia, a arma mais recente do Kremlin é a dívida comprada pela Rússia como parte do acordo de resgate assinado em 2013, com o então presidente Viktor Yanukovych. A Rússia afirma que pode exigir o pagamento imediato, uma vez que a dívida da Ucrânia ultrapassou o equivalente a 60% do PIB.

 

"Não queremos um incumprimento, que agrave a situação da economia ucraniana. Mas as dívidas têm que ser pagas", afirmou Medvedev, citado pela Bloomberg.

 

No seguimento desta ameaça, Kiev está a encetar conversas sobre restruturação da dívida com outros credores, relatam economistas de Londres e Nova Iorque escutados pela Bloomberg.

 

Num relatório divulgado no início desta semana, a Goldman Sachs alertou para a possibilidade de perdas para os credores até aos 70% num cenário de reestruturação de dívida. Segundo um grupo de analistas da Eurasia Group, citados pela Bloomberg, "os credores internacionais provavelmente impedirão um incumprimento, alargando as maturidades".  

 

Segunda a agência, esta situação aumenta a pressão de intervenção dos EUA e aliados europeus. Joe Biden, vice-presidente norte-americano, debateu esta semana com o primeiro-ministro ucraniano o progresso na composição de "um amplo pacote de financiamento internacional para ajudar a Ucrânia", afirmou a Casa Branca, citada pela Bloomberg. 

Ver comentários
Saber mais Dmitri Medvedev Kremlin Viktor Yanukovych Goldman Sachs Ucrânia
Outras Notícias