União Europeia UE preparada para adiar Brexit para julho

UE preparada para adiar Brexit para julho

A União Europeia está preparada para dar mais tempo ao Reino Unido. A data prevista para o Brexit é a 29 de março, mas Bruxelas está disposta a prolongar o prazo para, pelo menos, julho, revela o Guardian. Para isso é preciso que May convença o seu Parlamento e peça mais tempo.
UE preparada para adiar Brexit para julho
Reuters
Negócios 13 de janeiro de 2019 às 18:13

A União Europeia está a preparar um alargamento do prazo para o Brexit. Em vez de 29 de março, como está previsto, a UE poderá estender até, pelo menos, julho, a data para a saída do Reino Unido, de acordo com o Guardian, que cita fonte oficial da UE.

 

A notícia chega a dois dias de o Parlamento britânico votar a proposta para a saída do país da União Europeia. Contudo, a primeira-ministra, Theresa May, tem encontrado oposição, especialmente em relação à solução de salvaguarda para a província britânica da Irlanda do Norte, conhecida por ‘backstop’, que é contestada tanto por adeptos como por opositores ao ‘Brexit’ devido ao risco de deixar o pais "indefinidamente" numa união aduaneira sem poder sair unilateralmente.

 

Uma extensão "técnica" até julho é um passo provável para dar a May tempo para rever e retificar o acordo, explica o Guardian.

 

Fonte oficial da União Europeia afirmou ao jornal inglês que para que seja dado mais tempo, Theresa May tem "de sobreviver e informar que precisa de mais tempo para ganhar votos no Parlamento para um acordo". Se tal acontecer "será oferecida uma extensão técnica até julho", explicou a mesma fonte.

 

Outras fontes europeias adiantaram que poderá ser concedido mais tempo, além de julho, algo que será decidido posteriormente. Mas alertam que há uma "complicação". É que o Parlamento Europeu vai a eleições em maio, pelo que o Reino Unido teria de garantir a manutenção de deputados.

 

"A primeira sessão do Parlamento [após as eleições] é em julho. Será preciso deputados do Reino Unido lá se o país continuar a ser um estado membro. Mas as coisas não são pretas e brancas na União Europeia", acrescenta um diplomata europeu, citado pelo The Guardian.

 

O jornal adianta que a Comissão Europeia vai publicar uma carta esta segunda-feira, 14 de janeiro, a dar garantias renovadas sobre o estatuto da Irlanda.

 

Ainda este domingo, 13 de janeiro, Theresa May fez apelo dramático aos deputados. Num artigo de jornal, a primeira-ministra dramatiza e apela aos deputados que aprovem a sua proposta de saída do Reino Unido da União Europeia. Votar contra é empurrar o país para uma saída descontrolada; e a alternativa de opor-se à ausência de acordo seria "uma violação catastrófica e imperdoável da nossa democracia", defende a responsável.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI