União Europeia UE pressionada a impor limitador automático de velocidade nos carros novos

UE pressionada a impor limitador automático de velocidade nos carros novos

Segundo o Conselho Europeu de Segurança nos Transportes morreram mais de oito mil crianças nas estradas, nos últimos dez anos. Só com limitador automático obrigatório a sinistralidade será reduzida de forma significativa, argumentam os peritos.
UE pressionada a impor limitador automático de velocidade nos carros novos
Bruno Simão/Negócios
Negócios 27 de fevereiro de 2018 às 09:00
A pressão para impor limitadores automáticos de velocidade nos carros novos está a aumentar. Segundo um estudo revelado esta segunda-feira pelo Conselho Europeu de Segurança nos Transportes (ETSC), nos últimos dez anos morreram mais de oito mil crianças nas estradas europeias, avança o Correio da Manhã. "A verdadeira mudança só vai chegar quando, tal como os cintos de segurança" os limitadores automáticos de velocidade "forem instalados em todos os carros como standard e não como um extra opcional", frisou o director executivo do ETSC, Antonio Avenoso.

A 2 de Maio a Comissão Europeia deverá anunciar uma actualização dos regulamentos de segurança automóvel. Neste momento, já há carros onde é possível escolher a instalação deste tipo de limitadores automáticos de velocidade, mas esta característica é um extra. Para o ETSC, um observatório que aconselha a Comissão Europeia, o Parlamento Europeu e os Estados-membros sobre estas matérias, o limitador deveria ser uma característica obrigatória de todos os carros novos.

"Tecnologias inteligentes, com eficiência de custos e comprovadas, tais como a travagem automática de emergência e a assistência inteligente de velocidade poderiam ser tão importantes para salvar a vida de crianças como os cintos de segurança", defendeu Antonio Avenoso.

A limitação automática de veículos permite que através de uma câmara o carro reconheça o limite de velocidade imposto em cada via e ajuste automaticamente a sua própria velocidade àquele limite.



A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 27.02.2018

Vão acabar com a galinha dos ovos de ouro.
Quem vai querer comprar um carro de alta cilindrada agora? Bye-bye Ferrari, BMW M, Mercedes AMG, Aston Martins, por aí fora.

comentários mais recentes
Anónimo 08.03.2018

Deixem de ser pacóvios. É uma medida que deve entrar o quanto antes! Só um anormal ou uma besta vem para aqui protestar por andar a 30 km/h. É o limite. Não reconhecem a palavra PROIBIDO, deviam ser proibidos de ter uma máquina assassina nas mãos.

Anónimo 28.02.2018

Naturalmente que os carros há muito que deveriam ter, tal como os cintos de segurança, um dispositivo limitador de velocidade urbana. A Daimler já tem essa tecnologia desde 2004 disponível, só que muitos países não querem porque deixam de receber multas. É tudo uma hipocrisia.

Anónimo 27.02.2018

Seria mais fácil impor a carroça e o burro e um fardo de palha...simplesmente atrasos de vida.
Porque motivo não proíbem a venda de armas...quem está a vender armas na Síria?

Anónimo 27.02.2018

Nada resolve.
Bebados, Velhos, Condutores egoistas, Donas de casa apressadas, Jovens drogados, Adrenalinófilos, Empresarios egocêntricos, TODOS vão continuar a por em perigo os peões.
COLOQUEM RADARES NAS PASSADEIRAS E MULTAS PARA QUEM INFRINGIR NÃO PARAR.

ver mais comentários
pub