Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vítor Constâncio diz que ainda não está confirmada uma recessão na Europa

O Governador do Banco de Portugal disse hoje que ainda não está confirmada uma recessão na Europa e que é uma apreciação enganadora pensar que o BCE falhou na estabilidade dos preços.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 13 de Novembro de 2008 às 16:27
  • Partilhar artigo
  • 10
  • ...
O Governador do Banco de Portugal disse hoje que ainda não está confirmada uma recessão na Europa e que é uma apreciação “enganadora” pensar que o BCE falhou na estabilidade dos preços.

“Ainda não estamos a falar acerca de uma recessão generalizada. Antes das projecções que serão conhecidas em Dezembro, não vou comentar. Uma recessão ainda não está confirmada”, pelas estimativas do Banco Central Europeu (BCE) afirmou Vítor Constâncio em Frankfurt, citado pela Bloomberg.

As novas projecções da OCDE apontam para contracções simultâneas na Zona Euro e nos Estados Unidos, antecipando quatro trimestres consecutivos de retracção nos dois principais “motores” da economia mundial. Em Junho, a OCDE previra que a economia norte-americana iria sofrer apenas um trimestre de contracção, com a Zona Euro e o Japão a desacelerar, mas sem sair de terreno positivo.

As novas previsões da OCDE são, ainda assim, menos pessimistas do que as divulgadas há precisamente uma semana pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que diz estar-se perante a pior recessão desde 1945.

Também a Comissão Europeia prevê uma contracção nas principais economias da Zona Euro já este ano.

O Governador do Banco de Portugal explicou que “estamos sempre a analisar os dados e vamos ver no próximo mês o que decidimos. Não vou fazer comentários”.

Sobre a inflação sublinhou que “é claro que as expectativas de inflação permaneceram em torno dos 2% nos últimos anos. É uma apreciação enganadora pensar que o BCE falhou na estabilidade dos preços porque a média da inflação tem sido ligeiramente acima dos 2%”.

Em relação ao euro, Vítor Constâncio considera que “criamos uma moeda robusta e forte cm um papel internacional. Temos vindo a assegurar a estabilidade na Zona Euro no seio de vários choques”.

Sobre Portugal, acredita que “em 2008 teremos a inflação abaixo da média da Zona Euro”.

Ver comentários
Outras Notícias