Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vieira da Silva garante que pensões não devem baixar em 2010

"Para uma situação excepcional, deve criar-se uma intervenção excepcional", explicitou Vieira da Silva, em referência a projecções que apontam para que haja uma inflação negativa este ano. Seguindo a actual fórmula de cálculo, que prevê que as pensões acompanhem a evolução dos preços, as pensões poderiam descer no próximo ano.

Negócios negocios@negocios.pt 18 de Junho de 2009 às 12:49
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
O ministro do Trabalho e da Solidariedade Social disse hoje que as pensões não deverão descer em 2010, sendo necessário garantir que serão introduzidos mecanismos na lei para evitar que isso aconteça.

“Para uma situação excepcional, deve criar-se uma intervenção excepcional", explicitou Vieira da Silva, em referência a projecções que apontam para que haja uma inflação negativa este ano. Seguindo a actual fórmula de cálculo, que prevê que as pensões acompanhem a evolução dos preços, as pensões poderiam descer no próximo ano.

"Há uma situação que cria um quadro novo, com risco de evolução negativa, o que faria com que as pensões não subissem", explicou o ministro, realçando que esta fórmula só será aplicada em Outubro e que "ainda é cedo para saber qual a inflação".

Na Assembleia da República discutem-se hoje três propostas de alteração à lei que define as pensões, da autoria dos grupos parlamentares do CDS/PP, PCP e BE, visando uma das propostas a alteração do indexante dos apoios sociais e a definição de novas regras de actualização das pensões.

Segundo o DE, os socialistas devem chumbar os projectos da oposição, mas avançam com um projecto de resolução para o Governo operar esta alteração, caso se verifica uma inflação negativa em 2009.

Em declarações aos jornalistas, o ministro lembrou ainda que a evolução das pensões é importante para enfrentar a crise, até porque na eventualidade de uma quebra dos preços, o consumo das famílias dos pensionistas pode contribuir para alterar o ciclo de contracção no consumo.

Trata-se de garantir que "haverá todas as condições para que no momento apropriado se introduzam os mecanismos adequados para que isto [descida das pensões] não aconteça", especificou Vieira da Silva.

Ver comentários
Outras Notícias