Economia Vistos gold: Investimentos podem chegar aos dois mil milhões no próximo ano

Vistos gold: Investimentos podem chegar aos dois mil milhões no próximo ano

Os vistos gold atraíram em dois anos mais de 800 milhões de euros em investimentos, com a maioria a ir para o sector imobiliário. Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário quer potenciar estes investimentos para promover crescimento no sector.
Vistos gold: Investimentos podem chegar aos dois mil milhões no próximo ano
Miguel Baltazar/Negócios
André Cabrita-Mendes 07 de agosto de 2014 às 18:45

Os investimentos em Portugal devido aos vistos gold podem vir a superar os dois mil milhões de euros dentro de um ano, três anos depois da sua entrada em vigor.

 

A maioria do capital, mais de 90%, vai para o imobiliário que tem neste mecanismo uma oportunidade para promover o crescimento do sector após anos de crise.

 

As contas são da CPCI – Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário, que considera, no entanto, que é preciso potenciar estes investimentos.

 

Além destes vistos, ou autorizações de residência para investimento (AIR), a CPCI também elogia o regime de isenção fiscal para reformados estrangeiros. Este regime já atraiu para Portugal "mais de três milhares de famílias europeias".

 

"Estes são dois bons exemplos de incentivos que tiram partido do potencial do imobiliário português, enquanto vector essencial para a dinamização do crescimento económico", disse a CPCI em comunicado, divulgado esta quinta-feira (7 de Agosto).

 

Até ao momento, foram investidos em Portugal 817 milhões de euros entre Outubro de 2012 e final de Julho, segundo dados oficiais. A maior parte do capital serviu para adquirir imóveis (92% do total), 749 milhões de euros. A larga maioria dos investidores são chineses: 81% do total de 1358. Seguidos pelos russos e brasileiros (cada um com 3%).

 

Existem três modalidades para um cidadão estrangeiro poder obter um visto dourado. Transferir capital no valor mínimo de um milhão de euros, e criar, pelo menos, 10 postos de trabalho.

A terceira tem sido a mais relevante para o sector imobiliário. Todos os cidadãos estrangeiros têm direito a um visto gold se adquirirem um imóvel por, pelo menos, 500 mil euros.

 

Mas apesar dos bons resultados, a CPCI considera que chegou o momento de avaliar estes dois mecanismos de forma a "garantir que os efeitos positivos destes instrumentos possam chegar à generalidade do território nacional".

Para isso, os mesmos devem ser objecto de uma "maior articulação" com "autarquias locais, comissões de desenvolvimento regional" para "atrair investimento para outras regiões", incluindo a reabilitação urbana, defende a CPCI.


Assim, é necessário "desenvolver um marketing territorial mais efetivo, através da mobilização dos agentes locais, tanto institucionais como privados, criando mecanismos de divulgação, junto dos investidores internacionais".

 

O objectivo da CPCI é aumentar o investimento no sector imobiliário por parte dos vistos gold e atrair mais de 200 mil reformados europeus para Portugal, que contribuem para o crescimento do sector através da compra de casa.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI