Economia Zona Euro mais perto da estagnação com atividade dos serviços a desiludir

Zona Euro mais perto da estagnação com atividade dos serviços a desiludir

Apesar das boas notícias que chegam das maiores economias da Zona Euro, o índice que mede a atividade dos serviços e da indústria caiu em novembro.
Zona Euro mais perto da estagnação com atividade dos serviços a desiludir
Ricardo Castelo
Ana Batalha Oliveira 22 de novembro de 2019 às 10:26

A economia da Zona Euro aproximou-se, em novembro, da estagnação: o conjunto da atividade da indústria e dos serviços caiu, de acordo com os dados da IHS Markit.

O Purchasing Managers’ Index (PMI) ficou ligeiramente acima dos 50 pontos, a fasquia que divide um cenário de expansão (mais de 50 pontos) do cenário de contração. Em novembro, a leitura ficou nos 50,3 pontos.

Olhando separadamente para o desempenho dos serviços e da indústria, notam-se diferenças. A indústria superou as estimativas, embora já esteja em contração, nos 46,6 pontos. Os serviços conseguiram manter-se em expansão mas, ainda assim, os 51,5 pontos desiludiram significativamente em relação à estimativa de 52,4 pontos que tinha sido avançada pelos analistas consultados pela Bloomberg.

Já desde setembro que a economia da Zona Euro, de acordo com este indicador, se posiciona perto do nível de estagnação. O PMI fixou-se em 50,6 pontos em outubro, ligeiramente acima dos 50,1 pontos fixados em setembro.

O desfecho no mês de novembro surgiu inesperadamente face às melhorias que as duas maiores economias da Zona Euro, Alemanha e França, apresentaram. Os franceses beneficiaram de um aumento das exportações. Já os alemães viram a indústria recuperar para os 43,8 pontos em novembro, o nível mais alto em cinco meses e acima das expectativas.

Os sinais positivos vindos destes países são "notícias bem vindas", avalia o economista-chefe da IHS Markit, Chris Williamson, citado pela Bloomberg. Contudo, "uma nova preocupação é que o resto da região deslizou para uma trajetória descendente pela primeira vez desde 2013".

Reino Unido com pior desempenho desde pós-Brexit 

A economia do Reino Unidos não mostrava dados do PMI tão fracos desde julho de 2016, o mês que se seguiu ao referendo do Brexit. O PMI desceu para os 48,5 pontos.

Já no fecho do terceiro trimestre, o Reino Unido esteve próximo da contração. Estes efeitos fazem-se sentir numa altura em que a incerteza quanto à saída da União Europeia - com sucessivos adiamentos dos prazos - tem levado os produtores britânicos a refrearem o investimento e a armazenarem stock, de forma a prevenir adversidades que para já são uma incógnita.





pub

Marketing Automation certified by E-GOI