Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Brasil preparado para os maiores protestos desde o início das manifestações

Grades a proteger edifícios públicos, tapumes nos bancos, ruas bloqueadas à espera de protestos em 24 Estados.

Reuters
Negócios com Lusa 20 de Junho de 2013 às 23:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Uma semana depois de ter assistido às maiores e mais violentas manifestações desde os anos 90, o Brasil preparava-se ontem, ao final do dia, para mais uma noite agitada, com acções de protesto marcadas em 24 estados e em mais de uma centena de cidades. As acções foram convocadas pelas redes sociais e as autoridades prepararam-se para o maior protesto conjunto desde o início do mês.

Segundo o Globo on-line, no Rio de Janeiro, o Palácio da Guanabara – sede do governo do Estado – foi protegido por grades a toda a volta e as agências bancárias um pouco por toda a cidade taparam portas e montras de vidro com tapumes. Na capital, Brasília, onde os confrontos também já atingiram níveis elevados de violência, a Polícia Militar bloqueou todos os acessos ao Congresso Nacional.

Os protestos foram anunciados em Rondônia, Amazonas, Tocantins e Pará, no norte do país, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, no centro-oeste, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, no sudeste, Pará, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, no sul e Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e baía, no nordeste, além do Distrito Federal.

De acordo com os eventos criados na Internet, capitais como São Paulo e Rio de Janeiro deverão ser palco de protestos. E isso apesar de estarem entre as 11 cujas autoridades anunciaram o anúncio da revogação do aumento das tarifas após o início das manifestações contra os aumentos dos transportes. "Será para comemorar, mas vamos lembrar também as pessoas que estão sofrendo processo judicial por terem sido presas durante a manifestação, a criminalização dos movimentos sociais", disse à Lusa a estudante Mayara Vivan, 23 anos, integrante do Movimento Passe Livre de São Paulo. Os activistas afirmam que protestam também pelas cidades que não reduziram o custo das passagens.

Recorde-se que os protestos começaram no início de junho em São Paulo, exclusivamente contra a subida das tarifas dos transportes públicos, mas estenderam-se a outras cidades no Brasil e até a outros países.

A repressão policial às manifestações motivou outras pessoas a saírem à rua pela paz e pelo direito de manifestação, bem como outras queixas, entre as quais a corrupção e a falta de transparência.

Em particular, as manifestações criticam os elevados gastos com a organização de eventos desportivos como o Mundial de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, em detrimento de outras áreas como a saúde e na educação.

Ontem, a Câmara dos Deputados decidiu adiar a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 37) que poderá restringir a investigação criminal à polícia, retirando esse poder ao Ministério Público. A proposta, que seria votada no próximo dia 26, tem sido criticada durante as manifestações que se alastraram pelo país nas últimas semanas.

Ver comentários
Saber mais Brasil confrontos manifestações protestos
Outras Notícias