Educação Câmaras PS são as que têm mais colégios impedidos de abrir turmas

Câmaras PS são as que têm mais colégios impedidos de abrir turmas

O Governo impediu a abertura de turmas em 39 colégios com contrato de associação. A maioria desses colégios, 22, localiza-se em municípios com câmaras socialistas.
Câmaras PS são as que têm mais colégios impedidos de abrir turmas
Bruno Simão/Negócios
Bruno Simões 23 de maio de 2016 às 21:25

O Governo não olhou à cor política na hora de cortar financiamento a colégios com contrato de associação. De acordo com a listagem divulgada pelo Ministério da Educação na passada sexta-feira, a maioria dos colégios que deixam de receber financiamento estatal para abrir turmas localizam-se em concelhos presididos por autarcas socialistas. Coimbra, liderada por Manuel Machado, é a autarquia com mais colégios nessa situação: no total, oito.

 

Os 39 colégios com contrato de associação que deixam de receber financiamento para abrir novas turmas de início no próximo ano lectivo localizam-se num total de 27 municípios diferentes. A maioria desses municípios – 14 – é liderada por autarcas do Partido Socialista. Nesses municípios localizam-se 22 colégios que ficam sem financiamento para novas turmas. O PSD lidera as autarquias de 10 municípios onde se localiza um total de 13 colégios e escolas que perdem o apoio estatal.

 

Há ainda dois municípios liderados por independentes – Vila Nova de Cerveira e Anadia, e um liderado pelo PCP – Loures.

 

Além de Coimbra, é de especial relevo o caso de Barcelos, município presidido pelo socialista Miguel Costa Gomes, que vê desaparecer o financiamento para novas turmas em dois colégios: Didalvi e Colégio La Salle. Um pouco mais abaixo, Santo Tirso também vê o Instituto Nun’Álvares (INA) perder o financiamento para novas turmas, a exemplo do que acontece em Vila Real, onde se localiza o Colégio de Nossa Senhora da Boavista.

 

O presidente da câmara de Vila Real vai ser o próximo presidente dos autarcas do PS – as eleições realizam-se no próximo sábado, dia 28, e Rui Santos encabeça a única lista. Já Manuel Machado (Coimbra) é presidente da Associação Nacional de Municípios.

Famalicão perde três colégios

 

Do lado dos municípios liderados pelo PSD, é em Vila Nova de Famalicão que as perdas são mais significativas: o concelho vê evaporar-se o apoio para as Escolas Cooperativas de Vale São Cosme e de Riba d’Ave e para o Externato Delfim Ferreira. Adicionalmente, muitos dos alunos que frequentam o INA (Santo Tirso) ou a Alfacoop (Braga) residem no concelho famalicense.

O Colégio de São José é o único de Lisboa que fica impedido de abrir novas turmas de início de ciclo. Loures, o único município do PCP nesta lista, vê o Externato Bartolomeu Dias perder o financiamento para novas turmas.

No total, há 79 colégios e escolas privadas com contrato de associação com o Estado.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI