Educação Faculdade de Economia do Porto procura novo diretor

Faculdade de Economia do Porto procura novo diretor

A escola de Economia e Gestão da Universidade do Porto tem um concurso aberto até 1 de março para escolher o sucessor de José Manuel Varejão, que há cerca de quatro anos substituiu João Proença na liderança.
Faculdade de Economia do Porto procura novo diretor
Egídio Santos/Negócios
António Larguesa 11 de fevereiro de 2019 às 14:39

A Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) acaba de abrir um concurso público para o cargo de diretor. As candidaturas (em português ou inglês) estão abertas até 1 de março e podem ser formalizadas em suporte de papel e digital, devendo incluir o programa de ação que o aspirante se propõe cumprir durante o próximo mandato de quatro anos.

 

O anúncio publicado na imprensa esta segunda-feira, 11 de fevereiro, detalha que estas funções são exercidas em regime de dedicação exclusiva até 2023 e que podem candidatar-se ao cargo os "docentes ou investigadores doutorados da Universidade do Porto ou de outras instituições – de ensino universitário ou de investigação – nacionais ou estrangeiras".

 

No perfil é traçado que o candidato deve ser uma "personalidade de reconhecido mérito" e ter "experiência profissional relevante" para as funções; possuir "visão estratégica, refletida em programa de ação, adequada à prossecução da missão e fins da FEP"; e ainda ter antes "demonstrado capacidade de promover valores humanísticos e científicos num ambiente de colegialidade e inclusão".

 

A FEP conta atualmente com quase três mil alunos (mais de metade de licenciatura), dos quais 433 são estrangeiros provenientes de 59 países. A taxa de empregabilidade até três meses após a obtenção do diploma de mestrado é de 93,8%. A instituição inclui dois centros de investigação e um corpo docente com 150 professores. É o caso de José Manuel Varejão, especialista em Economia do Trabalho e ex-assessor do INE na área das contas nacionais, que em abril de 2015 substituiu João Proença na liderança da faculdade.

 

Audições públicas e cinco dias para decidir

 

O regulamento, consultado pelo Negócios, prevê o início do processo de audição pública no prazo máximo de cinco dias após a publicação da lista dos nomes admitidos. Nessas sessões, os candidatos terão até meia hora para apresentar o programa, seguindo-se um máximo de 90 minutos para responder a questões do Conselho de Representantes. A decisão final é tomada cinco dias após o fecho deste processo, sendo eleito o que obtiver "mais de metade dos votos validamente expressos".

 

Segundo os estatutos da FEP, o Conselho de Representantes é composto por 15 membros, dos quais nove estão ali em nome dos docentes ou investigadores da FEP – três deles podem não ter o grau de doutoramento – e quatro dos estudantes (de quaisquer ciclos de estudos). Há ainda um elemento em representação dos restantes funcionários e uma personalidade externa cooptada pelos restantes membros deste órgão.

ISEG lisboeta escolheu mulher para a presidência

O Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) da Universidade de Lisboa, outra das principais escolas portuguesas nesta área de ensino e investigação, escolheu pela primeira vez uma mulher para a presidência. Em julho de 2018, Clara Raposo tomou posse como "dean" desta instituição centenária, onde é professora catedrática de Finanças desde 2010. Licenciada em Economia, estudou na London Business School, deu aulas na Universidade de Oxford e acabou por se especializar em Finanças Empresariais e em Corporate Governance (governo das organizações), focando-se no tema da remuneração de executivos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI