Educação Portugal é o país europeu que mais reduziu o abandono escolar

Portugal é o país europeu que mais reduziu o abandono escolar

Portugal está entre os países que mais reduziram o abandono escolar e que mais aumentaram a escolarização superior. Porém, continua a ser um dos que piores resultados tem e que mais longe está dos seus objectivos para 2020.
Portugal é o país europeu que mais reduziu o abandono escolar
Nuno Aguiar 27 de abril de 2016 às 12:17

Entre 2006 e 2015, nenhum país da União Europeia reduziu tanto a sua taxa de abandono escolar como Portugal. No entanto, apesar do importante caminho percorrido, isso não impede o país de estar entre aqueles que mais longe estão de atingir o seu objectivo da "Europa 2020".

 

Em 2006, Portugal tinha uma taxa de abandono escolar de 38,5% entre a população com 18 a 24 anos. Um valor que tinha descido para 13,7% em 2015. Segundo os dados publicados hoje pelo Eurostat, esta descida de 24,8 pontos percentuais é a maior entre todos os 34 países analisados, a esmagadora dos quais da União Europeia. E nem sequer está perto. O segundo país da UE com o maior ajustamento é Malta (-12,4 pontos), seguida por Espanha (-10,3 pontos) e Chipre (-9,6 pontos).

 

Este desenvolvimento positivo para Portugal deve, contudo, ser colocado em perspectiva. Portugal continua a ser um dos países com a maior taxa de abandono escolar, superado apenas por seis países, dos quais apenas três pertencem à UE.

 

Além disso, está também entre aqueles que estão mais longe da sua meta para 2020. O objectivo é chegar aos 10% dentro de quatro anos, o que significa que há 3,7 pontos para reduzir. Mais longe do que isto está apenas Malta (9,8 pontos), Roménia (7,8) e Espanha (5).

 

No que diz respeito à escolarização superior, o cenário é semelhante a este. Os dados do Eurostat mostram que Portugal melhorou muito nos últimos anos: entre 2002 e 2015, a percentagem da população entre os 30 e os 34 anos com licenciatura aumentou de 12,9% para 31,9%. Um salto de 19 pontos percentuais, que está entre os maiores entre os países analisados.

 

Porém, também aqui, e apesar deste progresso, Portugal continua a comparar mal com os seus parceiros europeus, apresentando um dos valores mais baixos. Além disso, só três países estão mais longe de atingir a sua meta de escolarização superior em 2020: Luxemburgo (tem a meta mais exigente), Eslováquia e Alemanha. Dentro de quatro anos, os 31,9% de Portugal deveriam aumentar para 40% (8,1 pontos).

 

Os números agregados também pintam um cenário positivo. Na União Europeia, entre 2002 e 2015, a escolarização superior passou de 23,6% para 38,7% na população entre os 30 e os 34 anos. Um avanço especialmente relevante para as mulheres (de 24,5% para 43,4%). O objectivo é atingir uma taxa de 40% até 2020.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI