Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Salários dos professores caíram 16% entre 2011 e 2012

Depois de anos de subidas, os salários dos docentes caíram 16% entre 2011 e 2012 em Portugal. Relatores do "Education at a Glance" frisam ainda que os professores portugueses demoram mais tempo a atingir o topo da carreira.

Correio da Manhã
Marlene Carriço marlenecarrico@negocios.pt 09 de Setembro de 2014 às 10:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 54
  • ...

Entre 2011 e 2012, os salários dos professores em Portugal caíram 16%, à boleia dos cortes transversais que levaram os dois subsídios aos funcionários públicos em 2012. Esta quebra verificou-se, frisam os autores do relatório "Education at a Glance 2014", depois de seis anos em que os salários dos docentes cresceram 11%, quatro vezes mais do que a média dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE).

 

Continuando numa análise à classe docente, os autores sublinham, na nota dedicada a Portugal, que os professores portugueses, ao contrário de muitos outros países da OCDE, recebem o mesmo salário, independentemente do nível de ensino que ministrem.

 

Além disso, em Portugal, um professor demora "mais tempo para chegar ao topo da escala salarial". Por exemplo, um docente do ensino básico só atinge o topo ao fim de 34 anos de carreira, mais 10 anos, em média, do que nos outros países da OCDE.

 

O relatório, divulgado esta terça-feira, 9 de Setembro, que lança um olhar sobre a educação permite ainda verificar que a classe está mais envelhecida. Em 2002, 59% dos professores do 3º ciclo do ensino básico e do secundário tinham menos de 40 anos de idade, em comparação com 38% em média nos países da OCDE. Em 2012, essa percentagem baixou para 37%, em linha com os 37% da média da OCDE.

 

Ver comentários
Saber mais Education at a Glance educação OCDE professores docentes salários
Outras Notícias