Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bruxelas admite desemprego "inaceitavelmente alto" na Europa

A Comissão Europeia reconheceu hoje que o desemprego na União Europeia (UE), que afecta quase 26 milhões de pessoas, continua "inaceitavelmente alto" e sublinhou a necessidade de os Estados-membros darem prioridade à criação de emprego.

Lusa 30 de Novembro de 2012 às 12:29
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

"O nível de desemprego na Europa permanece inaceitavelmente alto", afirmou o porta-voz do comissário europeu do Emprego e Assuntos Sociais, Jonathan Todd, num comentário aos dados divulgados hoje pelo Eurostat, que apontam para uma taxa de desemprego de 11,7% na Zona Euro, em Outubro, e de 10,7% na UE, valores superiores aos registados no mês anterior.

Falando na conferência de imprensa diária do executivo comunitário, em Bruxelas, Jonathan Todd, disse que as divergências entre os Estados-membros ao nível do emprego e da situação social são "maiores do que nunca" e apelou para que os 27 apliquem "urgentemente" as recomendações adoptadas pelo Conselho Europeu, em Julho, e as medidas delineadas pela Comissão Europeia, em Abril.

"A situação crítica ao nível do desemprego demonstra a necessidade de pôr fim à actual crise económica e dar prioridade à criação de emprego", defendeu, referindo que o desemprego na Europa está a atingir níveis "historicamente elevados".

Em relação a Setembro deste ano, a taxa de desemprego subiu de 10,6% para 10,7% na UE a 27 e de 11,6% pata 11,7% na zona euro.

O aumento é mais expressivo quando é feita uma comparação com Outubro do ano passado, altura em que a taxa de desemprego na zona euro era de 10,4% e na UE de 9,9%.

Entre os Estados-membros, as taxas de desemprego mais elevadas pertencem a Espanha (26,2%), à Grécia (25,4%, valor referente a agosto) e a Portugal (16,3%).

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Eurostat, em Outubro, existiam 25,913 milhões de pessoas desempregadas na UE, das quais 18,703 milhões na Zona Euro.

Ver comentários
Saber mais Zona Euro Comissão Europeia desemprego União Europeia
Outras Notícias