Emprego Desempregados inscritos no IEFP caem 7% e ficam abaixo de meio milhão

Desempregados inscritos no IEFP caem 7% e ficam abaixo de meio milhão

Desde Julho de 2009, há sete anos, que o número de desempregados inscritos nos centros de emprego não ficava abaixo de meio milhão. As novas inscrições também estão a cair.
Desempregados inscritos no IEFP caem 7% e ficam abaixo de meio milhão
Carolina Cravinho/Negócios
Catarina Almeida Pereira 22 de agosto de 2016 às 11:31

O número de desempregados inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) caiu 6,6% em termos homólogos, para cerca de 498 mil pessoas. O número fica abaixo do meio milhão pela primeira vez em sete anos, desde Julho de 2009.

A redução do número de pessoas inscritas no final do mês pode reflectir as situações de pessoas que encontraram emprego, mas também das que foram reencaminhadas para programas de formação ou estágios ou ainda das que deixaram de estar inscritas porque perderam os incentivos relacionados, por exemplo, com o acesso ao subsídio de desemprego.

Mais fiel no retrato do mercado de trabalho é o indicador relativo ao número de pessoas que se inscreveram ao longo do mês (o fluxo) depois de terem perdido um emprego. Este indicador também está em quebra, de acordo com os dados oficiais. Ao longo do mês de Julho inscreveram-se nos centros de emprego cerca de 47 mil pessoas, o que também evidencia uma quebra tanto em termos homólogos (-16,6%) como em cadeia (-4,5%), de acordo com a informação publicada na página do IEFP.

Os dados oficiais do Instituto Nacional de Estatística vão no mesmo sentido, ao indicarem que no segundo trimestre (de Abril a Junho) a taxa de desemprego se fixou nos 10,8%. Esses dados mostram que existem 559 mil portugueses à procura de trabalho, menos 81 mil do que no trimestre anterior (-12,6%) e menos 61 mil do que no trimestre homólogo (-9,8%). 

Contudo, a taxa mantém-se historicamente elevada. O número de desempregados de longa duração, o aumento do trabalho precário, o número de pessoas que simplesmente desistiu de procurar trabalho e a redução da população activa são características que revelam a fragilidade da recuperação.

Os dados relativos a Julho foram divulgados no mesmo dia em que a imprensa noticiou que há situações de flagrante fraude nos estágios e que as demissões de dirigentes no IEFP já motivaram pelo menos dez processos em tribunal.

Notícia actualizada às 11:54 com mais informação




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI