Emprego Desemprego na Europa cai para mínimos históricos

Desemprego na Europa cai para mínimos históricos

O desemprego está a descer na generalidade dos países europeus, tendo a taxa recuado em agosto para o valor mais baixo desde que há dados. Portugal acompanha a tendência, com a taxa a descer para mínimos de 17 anos.
Desemprego na Europa cai para mínimos históricos
Bloomberg
Sara Antunes 30 de setembro de 2019 às 10:30

O desemprego está a descer na Europa, com cerca de 15,4 milhões de pessoas desempregadas, de acordo com os dados de agosto, publicados esta segunda-feira, 30 de setembro, pelo Eurostat.

 

Este número de pessoas corresponde a uma taxa de desemprego de 6,2%, o que representa a taxa mais baixa desde que há registos (janeiro de 2000). Na Zona Euro a taxa recuou para 7,4%, o que corresponde ao valor mais baixo desde maio de 2008.

 

Entre os países com as taxas mais baixas estão a República Checa (2%) e a Alemanha (3,1%). Do lado oposto estão dois países periféricos e que têm um desemprego historicamente elevado: Grécia (17%) e Espanha (13,8%).

 

O Eurostat realça que a taxa de desemprego caiu, em agosto, em 24 estados membros, quando comparado com o mesmo período do ano passado. E subiu em apenas seis países.

 

No caso de Portugal, o Eurostat confirmou os dados do desemprego publicados pelo INE na sexta-feira. A taxa de desemprego caiu para 6,2%, em agosto, o que representa o valor mais baixo dos últimos 17 anos. Ainda assim, estes dados de agosto são provisórios, podendo ainda ser revistos.

 

Quanto ao desemprego jovem, a taxa diminuiu igualmente para 15,4% na Zona Euro e para 14,2% na União Europeia. As taxas mais elevadas são observadas, mais uma vez, na Grécia e Espanha, com ambos os países a reportarem taxas acima dos 30%. E as mais baixas são as da República Checa (5,1%) e Alemanha (5,7%). Portugal conta com uma taxa de desemprego jovem de 17,6%.




Marketing Automation certified by E-GOI