Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Desemprego jovem em Portugal atinge 40%

A taxa de desempego entre os jovens subiu para um novo recorde no terceiro trimestre.

Eva Gaspar egaspar@negocios.pt 14 de Novembro de 2012 às 12:29
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
O desemprego voltou a subir no terceiro trimestre, atingindo um novo máximo em 15,8% da população. No caso dos mais jovens, com idades compreendidas entre 14 e 25 anos, a taxa subiu para um novo recorde de 39%.

Quando analisado por faixas etárias, a taxa de desemprego entre os jovens tem sido a mais expressiva, e subido sucessivamente ao longo do ano: no primeiro trimestre era de 30%, passou para 35,5% no segundo, e atingiu um novo recorde de 39% entre Junho e Setembro.

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), hoje divulgados, o universo de jovens desempregados nesta faixa etária passou de 138 mil para 175 mil entre o primeiro e o terceiro trimestre do ano.

Em termos absolutos, a maior fatia da população portuguesa desempregada continua a ser a que tem 45 anos ou mais (são 260 mil), ao passo que o ritmo de progressão do desemprego tem sido mais acelerado entre os que têm 25 e 34 anos.

Em termos globais, a população desempregada, estimada em 870,9 mil pessoas, aumentou 26,3% em relação ao trimestre homólogo de 2011 ( 181,3 mil pessoas) e 5,3% em relação ao trimestre anterior (44 mil).

Explica o INE que esse aumento de 181 mil desempregados desde há um ano se desdobra em mais homens (113,5 mil) que mulheres ( 67,8 mil). O instituto destaca ainda a subida de 55,8 mil pessoas desempregadas dos 25 aos 34 anos e de 46,9 mil com 45 e mais anos.

Por qualificações, os dados do INE sugerem que o aumento do desemprego no último ano deixou de estar tão relacionado com as habilitações académicas, ao registar um acréscimo de 69,7 mil pessoas desempregadas com um nível de escolaridade completo correspondente, no máximo, ao 3º ciclo do ensino básico e de 68,3 mil pessoas desempregadas com ensino secundário e pós-secundário. Em conjunto, estes dois níveis de escolaridade explicaram 76,1% do aumento ocorrido no desemprego total. Só os licenciados ou com formação académica superior estão mais protegidos.






Ver comentários
Outras Notícias