Emprego IEFP já recebeu mais de 100 mil ofertas para 920 vagas de formadores

IEFP já recebeu mais de 100 mil ofertas para 920 vagas de formadores

Entre os candidatos estão mais de 500 professores dos quadros do Ministério da Educação.
IEFP já recebeu mais de 100 mil ofertas para 920 vagas de formadores
Catarina Almeida Pereira 21 de dezembro de 2012 às 20:54

São mais de cem candidatos para cada oferta. O Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) recebeu, até meio da tarde desta sexta-feira, 112 mil candidaturas ao concurso que prevê o prenchimento de 920 vagas de formadores.

 

Os dados, que ainda não são definitivos, foram avançados ao Negócios por fonte oficial do Ministério da Economia.

 

A particularidade deste concurso é o facto de estar aberto aos professores com horário zero vinculados ao ministério da Educação, desde que tenham 22 horas de componente lectiva. De acordo com a mesma fonte, houve já mais de 500 candidaturas de professores.

 

O objecivo é "reduzir a despesa pública através da mobilidade de professores disponíveis no quadro do Ministério da Educação e Ciência, garantindo uma melhor interacção ou sinergia entre os centros de IEFP e as Escolas, designadamente ao nível da complementaridade das respostas de ensino e formação profissional", explicou esta semana o IEFP.

 

O concurso, que esteve aberto entre quarta-feira e esta sexta-feira, destina-se ao período 2013 a 2015.

 

Os formadores com certificação também podem concorrer, mas o tempo de serviço será um dos factores de selecção dos candidatos.

 

"Não há qualquer prioridade para os professores com vínculo à administração pública, porém o tempo de serviço constitui um dos factores de seriação, quer para os professores quer para os formadores externos (factor experiência)", explicou esta semana fonte oficial do ministério da Economia.

 

A mesma fonte acrescentou que só podem concorrer a este concurso os professores sem horário atribuído, salvo se houver condições para serem substituídos com autorização do Ministério da Educação.

 

"A mobilidade dos docentes para o IEFP está sempre dependente de autorização da requisição por parte do MEC, independentemente do seu posicionamento no concurso", acrescentou.

 

"Os professores mantêm o vínculo às escolas. O concurso é válido por 3 anos, mas a requisição de professores ao MEC é realizada anualmente", explica o Governo.

 

Esta é a primeira vez que o IEFP recruta docentes do quadro do ministério da educação através do regime de requisição. No passado, os professores colaboraram com o IEFP como prestadores de serviço, em regime de acumulação.

 

Os docentes que forem seleccionados vão continuar a ganhar o mesmo, mas os salários serão assumidos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional. 

 

Também não há alterações ao valor que será pago aos formadores a recibo verde e que é de 14,4 euros por hora.




Marketing Automation certified by E-GOI