Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Jorge Gaspar: "Nenhuma empresa contrata porque existe um apoio público"

Em entrevista ao Público, o presidente do IEFP reclama que "não é seguramente por causa das anulações" de desempregados subsidiados que a taxa de desemprego está a baixar.

Miguel Baltazar/Negócios
Negócios negocios@negocios.pt 30 de Março de 2015 às 10:29
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...

O presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) considera que existe em Portugal "um nítido desfasamento entre competências e qualificações, de um lado, e necessidades do mercado de trabalho, do outro", o que ajuda a explicar por que continua a haver um largo número de ofertas de emprego que ficam desertas.

 

No ano passado, mais de metade das colocações feitas pelo IEFP recorreu a apoios ao emprego, tendo a medida Estímulo, que financia as empresas que contratem desempregados, apoiado 56% de contratos de trabalho por tempo indeterminado. No entanto, Jorge Gaspar diz, em entrevista ao Público, que "não [conhece] nenhuma empresa que contrate um trabalhador só porque existe um apoio público à contratação".

 

Questionado sobre se a redução do desemprego pode estar relacionada com as anulações de inscrições, o presidente responde que o instituto público não faz "nem mais nem menos" do que cumprir a lei. "O número de anulações [de desempregados subsidiados] tem vindo a diminuir na mesma altura em que o desemprego tem vindo a cair. Não é seguramente por causa das anulações que baixa o desemprego", acrescentou.

 

Na mesma entrevista, Jorge Gaspar refutou ainda "em absoluto" que o desemprego esteja a baixar à custa da actividade do IEFP, que a partir de 2011 passou a divulgar os desempregados ocupados em acções de formação ou estágios, que não contam como desempregados.

 

No que toca ao novo quadro comunitário de apoio, que vai obrigar o instituto que lidera a ser mais selectivo e a relacionar-se com cinco programas diferentes, o responsável sustenta que a empregabilidade deve ser um critério fundamental, mas que "não pode ser um princípio cego, aplicado de forma igual" em todos os programas.

Ver comentários
Saber mais Emprego trabalho apoios públicos IEFP Jorge Gaspar
Outras Notícias