Emprego Número de beneficiários de subsídios de desemprego caiu 4% em Outubro para 376 mil

Número de beneficiários de subsídios de desemprego caiu 4% em Outubro para 376 mil

O número de beneficiários a receber as várias prestações de desemprego em Outubro diminuiu 4% face ao mês anterior, para 376 mil, revelam dados da Segurança Social hoje divulgados.
Número de beneficiários de subsídios de desemprego caiu 4% em Outubro para 376 mil
Reuters
Lusa 15 de novembro de 2013 às 21:10

De acordo com os últimos dados disponibilizados na página da internet da Segurança Social, de um universo total de 376.024 beneficiários, o Estado atribuiu em Outubro 312.855 prestações de desemprego, menos 14.458 beneficiários face ao mês de Setembro (327.313).

 

Os números da Segurança Social incluem o subsídio de desemprego, subsídio social de desemprego inicial, subsídio social de desemprego subsequente e prolongamento do subsídio social de desemprego, prestações que atingiram em Setembro o valor médio de 487,03 euros, face aos 507,00 euros observados um ano antes.

 

O Porto é o distrito com o maior número de beneficiários de prestações de desemprego, tendo em Outubro sido atribuídos subsídios a 82.189 indivíduos. Segue-se o distrito de Lisboa, com 76.183 desempregados a receber prestações de desemprego.

 

Os beneficiários do sexo masculino são em número superior (193.857 pessoas), em relação aos do sexo feminino (180.553).

 

A taxa de desemprego em Portugal foi de 15,6% no terceiro trimestre, 0,8 pontos percentuais abaixo do trimestre anterior e menos 0,2 pontos que no mesmo período de 2012, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Segundo os resultados do Inquérito ao Emprego do INE, entre Julho e Setembro, a população desempregada foi de 838,6 mil pessoas, o que representa uma diminuição homóloga de 3,7% e uma diminuição trimestral de 5,3% (menos 32,3 mil e menos 47,4 mil pessoas, respectivamente).

 

Já a população empregada foi de 4,55 milhões de pessoas, o que traduz uma diminuição homóloga de 2,2% e um aumento trimestral de 1,1% (menos 102,7 mil e mais 48 mil pessoas, respectivamente).

 

As mais recentes previsões do Governo, incluídas na proposta de Orçamento do Estado para 2014, apontam para que a taxa de desemprego atinja os 17,4% em 2013 e 17,7% no próximo ano.




Marketing Automation certified by E-GOI