Emprego Oito destinos no estrangeiro com ofertas de emprego

Oito destinos no estrangeiro com ofertas de emprego

O Negócios pediu às embaixadas as profissões onde existe oferta para estrangeiros. A maioria precisa de engenheiros ou profissionais de saúde, mas também há lugares para pasteleiros e cabeleireiros.

Procuram-se mais de 5.000 médicos

 

"Existe uma grande procura por trabalhadores com licenciaturas em áreas técnicas", revela fonte oficial da Embaixada da Alemanha em Portugal. Há necessidade de engenheiros (na área da electrotécnica, máquinas e automóvel), mas também informática. No entanto, o défice é maior na área da saúde.

 

"Faltam cerca de 5.000 médicos nas clínicas, consultórios e hospitais alemães", diz fonte oficial. "Trabalhadores com formação profissional em áreas técnicas e na área da saúde têm elevadas taxas de empregabilidade" na Alemanha, remata. Além de haver emprego, há ainda o atractivo do salário médio na maior economia da Europa ser de 2.500 euros. E o custo de vida não é elevado.

 

 

 

 

 


Promessa de salários elevados num país caro

 

A Suíça é, já há muitos anos, um dos países de destino dos emigrantes portugueses. E continua a sê-lo. Vão em busca de oportunidades de trabalho num país em que a taxa de desemprego é de apenas 3,1%. E há várias.

 

"Em geral, [encontra-se emprego] na construção civil, na restauração e hotelaria, mas também na área da saúde", diz um responsável da Embaixada da Suíça em Portugal. Os salários são atractivos, rondando os 4.800 euros por mês, sendo que é preciso deduzir o custo dos seguros de saúde que são obrigatórios. Estes elevados salários permitem colmatar o custo de vida que é bastante superior ao de Portugal. A alimentação é bastante cara.

 

 

 

 

 

Serviços absorvem mão-de-obra estrangeira

 

"A taxa de desemprego está aumentar [situando-se nos 6,4%], com os sectores da indústria, da construção e do trabalho temporário em queda", alerta a Embaixada do Luxemburgo em Lisboa, lembrando que 36% do total de empregados neste sector é português. "O sector dos serviços não é tão afectado, mas as previsões (em baixa) de crescimento económico para 2012-2013 deverão limitar a criação de novos postos de trabalho", acrescenta.

 

Contudo, ainda há emprego nos serviços, nomeadamente no sector financeiro, seguros, comércio e restauração, bem como na saúde. O grande atractivo são os salários (mínimo de 1.874 euros brutos), mas o custo de vida no Luxemburgo deve ser tido em consideração.

 

 

 

 

 

Um país sem desemprego

 

A Noruega é um exemplo de como os países nórdicos conseguiram aguentar o impacto da crise soberana. A taxa de desemprego é uma das mais baixas do mundo: 3,5% este ano, segundo as previsões do FMI. De acordo com a resposta da embaixada em Lisboa, o país tem necessidade de emprego em várias áreas, com a engenharia à cabeça.

 

São exemplos a perfuração, automação, electrotécnica, mecânica, hidráulica, tecnologia marinha e arquitectura naval, instrumentação e estrutura de aço. Segundo a embaixada é conveniente saber inglês. Sendo um país do espaço Schengen, é possível permanecer durante três meses só com o cartão de cidadão. Períodos maiores obrigam ao registo na polícia.

 

 

 

 

 

Salários mais elevados e custos semelhantes

 

A Áustria tem a taxa de desemprego mais reduzida entre os países da União Europeia - 4,3% em Fevereiro -, ainda que não tenha escapado ao crescimento negativo do PIB que afectou a maior parte dos países no quarto trimestre. No entanto, o banco central austríaco prevê um crescimento de 0,5% do PIB este ano e de 1,7% em 2014.

 

Fonte da embaixada da Áustria em Lisboa diz que "a maior procura por trabalhadores existe na prestação de serviços e também na indústria". Mas nota que "o turismo é muito forte na Áustria, uma área em que os portugueses poderão certamente apostar no caso de falarem línguas estrangeiras e terem a qualificação profissional adequada".

 

 

 

 

 

4 de Maio pode ser o 1º dia do resto da sua vida

 

É um trabalhador qualificado e imagina-se a viver no Canadá? Marque na sua agenda o próximo dia 4 de Maio, em que será lançada uma nova edição de um programa de acolhimento de trabalhadores qualificados para o Canadá. Mudar-se para o país não é hoje tão fácil quanto no passado. É preciso licença e validação de competências para poder entrar no mercado de trabalho canadiano e a vigilância sobre imigrantes ilegais é apertada.

 

Mas se quiser trabalhar numa das 43 profissões que o programa procura, o processo será facilitado. Técnicos industriais, mecânicos, electricistas e mineiros são algumas das profissões (a consultar no "site" da Citizen and Immigration Canada).

 

 

 

 

 

À procura de empreendedores

 

A economia chilena continua a ser uma das mais dinâmicas da América Latina, com o FMI a prever um crescimento anual da economia na ordem dos 4,5% nos próximos cinco anos. Erwan Vargas, cônsul em Portugal, explica que o país está à procura de empresários: "O ano 2013 é o ano da inovação no Chile então há muitos apoios ao empreendedorismo e criação de empresas".

 

Para obter um visto de trabalho é necessário uma carta da empresa dirigida ao cônsul a explicar a contratação, contrato de trabalho carimbado pelo Ministério de Relações Exteriores do Chile. Além do Passaporte (válido por seis meses) é solicitado um certificado médico, registo criminal e um seguro de viagem.

 

 

 

 

 

Cidade de Maputo "está na moda"

 

É fácil perceber porque é que se diz que Moçambique "está na moda" quando se constata que a economia tem crescido entre 7% e 8% nos últimos anos. Diz-se que é um país mais seguro do que Angola, outro destino que tem sido visto como um "El Dorado" para emigrantes portugueses. E não só para quem quer encontrar emprego em Moçambique, também para quem quer criar um negócio naquele país.

 

A TAP transportou em 2012 mais 26% de passageiros. Para ter um visto de trabalho é necessário uma carta da entidade empregadora a assegurar a contratação. O visto simples custa 60 euros. Se for trabalho acresce o pagamento de selos no valor de 30 euros.

 

 

 

Existe uma grande procura por trabalhadores com licenciaturas em áreas técnicas. Faltam cerca de 5.000 médicos nas clínicas, consultórios e hospitais alemães
Embaixada da alemanha em portugal

 




Marketing Automation certified by E-GOI