Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal é um dos piores países da OCDE para trabalhar

Com um elevado nível de insegurança no mercado de trabalho e sendo um dos 10 piores países em termos de qualidade das remunerações, Portugal surge como um dos piores países para trabalhar na lista de economias da OCDE.

Paulo Duarte
Liliana Borges LilianaBorges@negocios.pt 09 de Fevereiro de 2016 às 15:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • 14
  • ...

Em Portugal, a qualidade das remunerações estagnou e a segurança no mercado de trabalho caiu consideravelmente. Esta é a conclusão do mais recente relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE), que analisa a importância da qualidade e quantidade de trabalho e sua evolução durante um período de crise económica e que coloca os trabalhadores portugueses em 4.º lugar na lista de países com mais insegurança no trabalho. 

Portugal é, por isso, com a Estónia, Grécia, Hungria, Itália, Polónia, República Checa, Espanha, Turquia um dos piores países para trabalhar. Já as melhores opções são na Alemanha, Austrália, Áustria, Dinamarca, Finlândia, Luxemburgo, Noruega e Suécia, com bons resultados em todos os indicadores.

Não obstante, o relatório publicado esta terça-feira, 9 de Fevereiro, conclui que em Portugal os efeitos da crise não foram totalmente lineares, uma vez que apesar dos sinais negativos na estabilidade e recompensas económicas, aqueles que continuaram empregados registaram melhorias no ambiente de trabalho.

A OCDE usa três indicadores, desde a qualidade das remunerações, que tem em conta o peso que os ordenados têm na qualidade de vida e bem-estar dos trabalhadores; a segurança no mercado de trabalho e o medo de perder o emprego e a consequente exposição a desemprego de longa duração e por fim a qualidade do ambiente de trabalho, que mede também as tensões. A média de todos estes indicadores resulta na avaliação do índice da qualidade do emprego.

De acordo com o relatório, Portugal surge em 10.º lugar na qualidade das remunerações, uma classificação que coloca o país atrás da Coreia do Sul e até mesmo da Grécia e da vizinha Espanha. A Holanda é o país onde a qualidade das remunerações é a melhor.

cotacao Em Portugal, a qualidade das remunerações estagnou e a segurança no mercado de trabalho caiu consideravelmente, enquanto o ambiente de trabalho melhorou para os que estão empregados. OCDE 

Tal como destacado, uma das piores classificações registadas no mercado de trabalho português deve-se aos elevados níveis da insegurança do mercado de trabalho, os trabalhadores portugueses também são os que estão na pior situação. Com uma taxa de risco de desemprego de 17,1% e com a insegurança no mercado de trabalho a níveis de 11,7%, Portugal surge em 4.º lugar, a par das economias do sul da Europa. Pior do que Portugal só Grécia, Espanha e Itália. A Islândia, Noruega. Suécia e Luxemburgo são os países mais bem classificados.

O relatório aponta ainda algumas diferenças entre os grupos de trabalhadores, sendo que os jovens e trabalhadores com menos qualificações são não só quem tem mais dificuldade em encontrar emprego como os que têm as piores remunerações e os mais altos níveis de insegurança e stress no trabalho, especialmente nos empregos com pouca especialização.

As mulheres continuam também a sofrer discriminação, registando ainda uma forte diferença salarial em relação aos colegas de sexo masculino e estão ainda mais sujeitas a situações de stress no emprego.

O que é um emprego de qualidade? A OCDE responde

Ver comentários
Saber mais emprego mercado de trabalho OCDE Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Portugal economia negócios e finanças
Mais lidas
Outras Notícias