Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Balanço da legislatura: Menos 38 mil desempregados, menos 219 mil pessoas a trabalhar

Conhecidos os dados do mercado de trabalho para o segundo trimestre deste ano, é possível fazer um balanço da actual legislatura. O resultado é previsível: menos desempregados e muito menos empregados.

Nuno Aguiar naguiar@negocios.pt 05 de Agosto de 2015 às 14:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 87
  • ...

O Executivo PSD/CDS-PP tomou posse a 21 de Junho de 2011. Nesse trimestre (Abril a Junho), Portugal tinha 658,7 mil desempregados. Precisamente quatro anos depois, no segundo trimestre de 2015, existiam 620,4 mil pessoas sem trabalho. Uma melhoria de 38,3 mil que há dois anos parecia improvável, numa altura em que o desemprego se aproximou das 930 mil pessoas.

 

Esse é o lado positivo destes dados. O lado negativo é mostrar que o emprego não acompanhou esta tendência com o mesmo ritmo. Longe disso. No segundo trimestre de 2011, 4,775 milhões de portugueses tinha trabalho. Quatro anos (16 trimestres) depois, apenas 4,5808 milhões estão empregados. Ou seja, assistiu-se à destruição líquida de 218,6 mil postos de trabalho.

 

Isto é, a grande maioria das pessoas que deixaram de ter trabalho não passaram a ser desempregadas. O que lhes aconteceu? Algumas deles passaram para a inactividade (o número de desencorajados aumentou muito, por exemplo). Outras simplesmente emigraram, desaparecendo das estatísticas.

 

Olhar para o desagravamento do desemprego é importante, porque nos indica quantas pessoas estão numa situação social potencialmente mais frágil, o que também pode provocar um aumento da despesa com subsídios de desemprego, por exemplo. Por outro lado, o emprego é um indicador mais "estrutural" e muito mais útil se quisermos perceber que recursos humanos estão a ser utilizados no processo produtivo. Para além disso, permite eliminar algum do ruído causado por factores extraordinários que estejam a contribuir para a descida do desemprego (como a emigração ou a passagem para a inactividade).

 

Segundo os valores divulgados hoje, 5 de Agosto, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego fixou-se nos 11,9% entre Abril e Junho deste ano. Uma descida de 1,8 pontos percentuais face ao trimestre anterior, a maior desta série de emprego do INE (começou em 2011), que colocou a taxa no nível mais baixo desde 2011.

Ver comentários
Saber mais CDS-PP Instituto Nacional de Estatística INE trabalho desemprego economia negócios e finanças
Mais lidas
Outras Notícias