Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Número de desempregados recuou mais de 20 mil em 2013

Em Dezembro estavam registados 690.535 desempregados nos centros de emprego, uma redução de 2,8% face ao mesmo mês de 2012. Entre os jovens e os licenciados, o desemprego continua a aumentar.

Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 20 de Janeiro de 2014 às 14:16
  • Assine já 1€/1 mês
  • 68
  • ...

Entre Dezembro de 2012 e Dezembro do ano passado o número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal baixou em 2,8%, o que traduz um decréscimo de 20.117.

 

De acordo com os dados publicados esta segunda-feira pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), o desemprego registado atingia 690.535 pessoas no mês passado, abaixo dos 710.652 de Dezembro do ano anterior.

 

Contra Novembro de 2013 a descida no número de inscritos nos centros de emprego foi de 0,2%, ou 1.484 pessoas.

 

Nos últimos meses já se tinha verificado uma queda no desemprego registado, em termos homólogos e mensais, mas a queda homóloga de Dezembro é mais acentuada do que a verificada nos últimos meses.

 

Apesar da queda do desemprego registado total, continua a verificar-se um aumento no desemprego jovem. Em Dezembro eram 93.427 os inscritos nos centros de emprego com menos de 25 anos, um aumento de1,7% face ao mesmo mês de 2012. Em termos mensais observou-se uma queda de 4,2%.

 

O número de pessoas inscritas no IEFP à procura do primeiro emprego aumentou 21% para 70.693. “Tendo em conta, os desempregados inscritos há menos de um ano diminuíram 12% face a Dezembro de 2012, ao contrário dos desempregados de longa duração (tempo de inscrição igual ou superior a um ano) onde é observado um acréscimo de 10,3%”, refere o IEFP.

 

No que respeita ao nível de instrução, o desemprego registado só aumento nos extremos, ou seja, para os detentores de habilitações superiores e nos indivíduos sem nenhum nível de instrução. Em Dezembro eram 93.409 os licenciados inscritos no IEFP, mais 5,3% do que no período homólogo.

 

Na análise regional, o desemprego diminui na generalidade das regiões em termos homólogos, com excepção da Região Autónoma dos Açores, onde o aumento foi superior a 15%.

 

Ver comentários
Saber mais Instituto de Emprego e Formação Profissional IEFP Região Autónoma dos Açores Portugal desemprego
Outras Notícias